quarta-feira, setembro 30, 2009

FCPorto 2 x 0 Madrid! - Faltam 6 pontos.



O FCPorto cumpriu o seu objectivo fundamental da conquista dos 3 pontos, após um jogo difícil e graças à crença e à capacidade de sacrifício dos seus jogadores. Depois de 70 minutos sem soluções, a entrada de Guarín conferiu capacidade para o último fôlego que fez ruir a muralha colchonera. Falcao apresentou-se à Europa e, fazendo recordar velhas glórias, ganhou o seu lugar de direito na montra europeia.


Jesualdo já na véspera havia lançado o aviso: a fragilidade do Atlético de Madrid não contava para nada neste tipo de desafios e isso comprovou-se em campo, sobretudo na primeira parte onde os colchoneros estiveram perto de marcar em algumas ocasiões.


O FCPorto jogou como se esperava, apresentou praticamente o mesmo onze do jogo contra o Sporting, excepção feita à entrada de Tomás Costa para o lugar do castigado Fernando e aí residiu a principal fonte das dificuldades da equipa em desenvolver jogo.


O Atlético apresentou-se no seu habitual 4-4-2 e a sua linha intermédia foi durante maior parte do jogo capaz de ganhar ascendente sobre os 3 médios do FCPorto e, ao contrário do último jogo, sem Fernando, a equipa não tinha um médio capaz de, não só fechar os espaços (algo que Tomás Costa fez geralmente bem) mas também de carregar a equipa na primeira fase da transição ofensiva, algo que ficou apenas a cargo de Meireles e Belluschi, com Mariano a passar o jogo todo a tentar compensar. Com Pereira com menos confiança que Fucile e a evitar subir no terreno, a ala esquerda do FCPorto ficou "coxa" durante larga parte do jogo. Meireles andou perdido durante a primeira parte, perdido entre a "tentação" de ajudar Tomás Costa e o seu habitual papel de médio de circulação. Belluschi, sem espaços, não foi capaz de conferir aquela capacidade de romper linhas que o caracteriza mas esteve muito bem noutro aspecto que tem vindo a desenvolver: a ajuda defensiva.


Contra 4 defesas adversários, todos eles centrais de raíz, Falcao e Hulk não conseguiam dar seguimento às jogadas de ataque, sobretudo Falcao que, muitas vezes, tinha de vir ao meio campo tentar pegar no jogo, sempre com muita entrega. Já Hulk, outra vez mais encostado à direita, desenvolveu várias iniciativas individuais interessantes embora depois as mesmas não tenham tido a sequência desejada por falta de apoio no ataque. Falta a Hulk ainda a capacidade de definir claramente quando deve jogar para a equipa e quando deve ir para cima do adversário e terá sido isso a espaços a levá-lo a retrair-se diante de Perea. Ainda assim, foi sempre uma fonte de perigo para o defesa madrilenho que a certa altura teve uma entrada muito dura que motivou a exibição do cartão amarelo.


Quanto à defesa esteve geralmente segura, excepto por alguns "calafrios" desnecessários na sequência de cantos em que os defesas centrais não ficam isentos de culpas. Já os laterais estiveram muito bem, Pereira menos bem a atacar, e quanto a mim Fucile foi o homem do jogo. Anulou praticamente todas as jogadas de perigo pelo seu flanco e a prova maior do seu desempenho foi ter levado à substituição do seu adversário directo: Simão Sabrosa, o lendário "hobbit" encarnado. Curiosamente, acabaria o jogo a explicar a Reyes o essencial da arte de bem defender e este também nada trouxe de novo ao Atlético de Madrid. Grande jogo portanto de Fucile.






Na baliza esteve também um Helton muito atento que, com um par de intervenções de grande nível, evitou o golo do Atlético de Madrid, primeiro numa desatenção de Tomás Costa que deixou a bola sobrar para Aguero e que este, sem confiança para progredir, rematou com violência de fora da área, e mais tarde a responder bem a um disparo de Ujfalusi na sequência de um momento mais... como lhe chamar... atentatório ao Fair Play, uma vez que Rolando ficou no chão no início da jogada após levar com a bola no estômago.


O momento do jogo foi a entrada (tardia) de Guarín. O colombiano mal entrou deu logo o mote ao não fazer cerimónias à entrada da área adversária a rematar para mais uma defesa do jovem De Gea, guarda-redes chamado a substituir o titular Roberto logo aos 25 minutos e que não acusou particularmente o nervosismo da estreia. Este remate de Guarín como que ajudou a acordar a equipa mas, a vantagem mais importante da entrada do colombiano que levou ao recuo de Meireles para a posição 6 foi uma vantagem 2 em 1. Primeiro o FCPorto passou a ter um médio possante e com capacidade de transporte de bola, capaz de criar desequilíbrio. Em segundo lugar, passava a ter na posição 6 um médio com capacidade de construção de jogo. Aqui, pela primeira vez, o meio campo do FCPorto ganhava o dinamismo e as armas necessárias para se sobrepor aos médios adversário que também já estavam desgastados e, outro dado importante, Belluschi tinha finalmente o espaço de que necessitava.


Não surpreende por isso que, pouco depois, Falcao inaugurasse o marcador num lance que tem tanto de magia como de sorte. Meireles fez um passe largo para a direita do ataque onde Hulk conseguiu espaço para entrar na área, ganhar sobre Perea e rematar para uma primeira defesa de De Gea. A bola voltou caprichosamente a Hulk que tentou novamente o remate mas falhando de forma caricata e, vendo Falcao solto de marcação, endossou a bola ao colombiano que assinou um golo de antologia digno de ser classificado como "Tributo a Madjer".






A partir daqui o Atlético já não teve força física nem anímica para inverter o rumo do jogo até porque, pouco depois, o FCPorto acabaria por chegar ao 2º golo com Bruno Alves, na sequência de um canto, a atirar de cabeça ao poste, sobrando a bola para Rolando que, completamente isolado e à boca da baliza, fez o 2º e selou a conquista dos 3 pontos.


O FCPorto irá agora receber o APOEL no Estádio do Dragão, antes de viajar até Chipre, e a atitude deverá no mínimo ser a mesma que hoje mostrou. Os cipriotas perderam hoje com o Chelsea por 1-0, num jogo nada fácil para os londrinos e, se nos lembrarmos que em Madrid o APOEL conquistou 1 ponto que chegou a saber a pouco, está tudo dito sobre os dissabores que poderão ser originados por uma atitude sobranceira.


Quanto ao Atlético de Madrid irá continuar a sua "Via Dolorosa" jogando duas vezes com o Chelsea e sabendo que se não conseguirem pontuar isso os colocará na desconfortável perspectiva de terem de disputar o apuramento para a Liga Europa com o APOEL... Mas ainda há muito tempo de jogo pela frente e muitas variáveis a considerar.






O Atlético pode para já sentir-se feliz por ir novamente bem abastecido do Dragão. Pelo segunda época consecutiva e com a cortesia sublime do FCPorto, os madrilenhos voltam a levar dois melões na bagagem (embora desta vez tenham parecido um pouco fora de prazo)




PASSATEMPO Zé do Boné


Descubra nas seguintes capas de jornal abaixo, qual dos jornais quase não soube a tempo que ontem houve jogo para a Liga dos Campeões no Estádio do Dragão. Assinale com "X" ou com a frase "O jornalinho de qualquer escola do Cerco pratica melhor jornalismo que isto".





Fotos:
Record mais vermelho que a Tomatina

13 comentários:

Wolverine23 disse...

Grande Madjer, he he
Ops, foi o Falcão

Põe ai a crónica que não vi o jogo...

Abraço

Caetano disse...

Roger that! :) Hoje a Europa conheceu o Falcao :D

PS - E que tal a Liga Fantástica? :P

Orgulhoazulebranco disse...

O Falcao devia ir rodar no olhanense!Fraquinho =))
Puuuuuuffffff partiu-me toda!

dragao vila pouca disse...

Gostei e gostei durante todo o jogo, embora tivessemos sido mais exuberantes após a entrada de Guarín e a passagem de Meireles para trinco.
Hulk fantástico; Falcao ponta-de-lança que vale vinte golos por época e que marcou um golo onde está tudo: talento, génio e principalmente, sentido de oportunidade. O colombiano só podia marcar daquela forma.
Mas quem foi a alma, a crença, a coragem e a raça do Dragão, foi Fucile. O uruguaio foi grande, nunca baixou o ritmo e mesmo quando as coisas não se resolviam, nunca baixou os braços. Simão, Forlan, Jurado...todos no bolso de um Fucile fantástico.

Um abraço

Sete_Luas disse...

Sinceramente, numa apreciação geral, não gostei NADA de alguns períodos do jogo do FCP, passes trapalhões, desatenções que podiam ter custado golos (valha-nos Helton que estava inspirado)e alguma falta de leitura do jogo de quando em vez. Achei estranhíssima a posição de Tomás Costa, não percebo o que estava ele a fazer ali e porquê deixar Guarin no banco depois das últimas boas exibições. No entanto, ficam também algumas (bastantes) boas impressões. Hulk, parece-me finalmente crescidinho e ponderado, o melhor exemplo para mim, foi efectivamente o passe para o golo, penso que o Hulk de há uns meses atrás não teria tido o discernimento de passar a bola a Falcão e teria continuado a tentar inaugurar a conta pessoal na Champions. Falcão... não tenho mto a dizer aqui, acho-o UM SENHOR e o golo foi aquilo que no design se entende como perfeito ou seja, aliou a estética à funcionalidade LOL. Álvaro Pereira, sou só eu que fica completamente abismada com as arrancadas de bola nos pés deste menino? Toda a gente fala na velocidade de Hulk mas já prestaram bem atenção a Pereira? Fucile: este moço tem uma limpeza nos cortes que, para mim é, impressionante... Belluschi, two thumbs up! Não posso não falar de De Gea, quando vi o moço vestir a camisola todo franganito e com cara de quem tinha acabado de sair do jardim escola pensei: "tu vais ser o Cristo caso o Atlético perca isto", para mim foi o melhor jogador do Atlético em campo, que me perdoe Forlan (que me pareceu algo perdido, a Florzinha de Sabrosa, o Maxi Rodriguez e Reyes mas o puto esmifrou-se todo e há dois lances que eu me pergunto quantos guarda-redes titulares teriam conseguido defender.
Agora venha o Olhanense e o APOEL e, Varela e Rodriguez voltem q estão perdoados! LOL


P.S. (Acho que a liga Betadin n gosta muito de mim, ou isso ou confirma-se que eu n tenho mto jeito para estas coisas....)

Sete_Luas disse...

P.S.S. (acabei de me aperceber que consegui fazer um comentário sobre um jogo do porto sem falar (mal claro está) do Mariano... que orgulho)

Caetano disse...

Luas, também não gostei muito dos primeiros... 70 minutos do FCPorto mas felizmente tudo acabou bem.

Quanto ao teu PS, não creio que tenhas escolhido mal os jogadores mas tenta concentrar-te sobretudo em jogadores de equipas que não sofram muitos golos (gr, defesas) e que façam golos do meio campo para a frente. Vais ver que a próxima jornada te corre melhor. A mim não me correu mal :P

Quanto ao teu PSS, dou-te os meus parabéns :P Mas o Mariano ontem não passou o tempo a tentar lutar pela recuperação da bola e nisso foi valente. Vá lá!

Gaspar disse...

Gostei do jogo.
Uma segunda parte - na minha opinião - mais ofensiva por parte dos azuis e brancos, com o golo de Falcao a merecer completo destaque nesta partida.
Vamos em frente!

Gaspar

Gaspar disse...

Ohhh! Quase me esquecia do 'passatempo/desafio'. Muito sinceramente, estou surpreendido com a capa de A Bola, mas também, um golo destes merece!!
O Record nunca há de mudar..

Orgulhoazulebranco disse...

A Bola subiu 100 pontos na minha consideração.Está agora nos -899 pontos x))

Caetano disse...

Amigo Vila Pouca, estive quase para te enviar um SMS de efusividade! :)

Não gostei muito da exibição do FCPorto durante maior parte do jogo. Deu-se muito espaço aos espanhóis e o Hulk e o Falcao estiveram desapoiados. Quando o Guarin entrou, a superioridade do FCPorto veio à tona!

Venham os cipriotas... mas com seriedade!

Caetano disse...

Gaspar, vamos pois! Se o FCPorto encarar os próximos 2 jogos com rigor e profissionalismo e tendo em conta que o Atlético joga com o Chelsea, o resultado de quarta-feira terá sido um passo fundamental para a fase seguinte.

Abraço

Caetano disse...

Orgulho AB, o Falcao partiu-te toda?? Danificar a massa adepta não vale ;) Já estás recomposta?

Sobre os jornais, então a Bola já ultrapassou o Record no teu ranking?

:D