domingo, setembro 06, 2009

O apuramento para o Mundial à distância da África do Sul


Quando todos exigiam nada menos que a vitória, a Selecção Nacional foi a Copenhaga arrancar um empate a ferros, com o golo português a ser apontado por Liedson que, afinal, sempre acabou por ser o salvador da pátria, embora não exactamente como se pretendia.

Os avançados portugueses andam definitivamente divorciados da baliza, tanto que até acho que Queiroz devia fazer algum treino específico teórico no sentido de explicar o conceito e a utilidade das balizas no futebol, para além da importância de efectuar o remate imprimindo à bola uma trajectória tal que esta não intersecte o ponto onde se encontra o guarda-redes.

O jogo de Portugal chegou a ser avalassalador na 1ª parte, após um período inicial de equilíbrio. O meio campo funcionava na perfeição e só a fraca pontaria de Simão (escandalosas perdidas!) e Ronaldo impediram que Portugal chegasse ao golo. A Dinamarca é que não estava pelos ajustes e ao 4º remate fez golo, isto num lance onde ficaram bem evidentes as carências defensivas do lado esquerdo português.

Na segunda-parte o jogo abriu e Portugal expôs-se aos contra-ataques venenosos da Dinamarca na ânsia de marcar. Seria só aos 87 minutos, já com Nani, Liedson, Ronaldo e Nuno Gomes em campo, que Portugal chegaria finalmente ao empate. Este acaba por ser um resultado com sabor a deja vu se tivermos em conta o que aconteceu no jogo da primeira volta em Alvalade.

Isto por outro lado também vem ajudar a ilibar Queiroz que nada pode fazer quando tem jogadores da nata do futebol, que jogam imenso, mas que depois falham na hora de marcar. Que pode um treinador fazer perante isto? Também há que lhe dar razão nas queixas que faz acerca de algumas arbitragens que Portugal encontrou neste apuramento, um sintoma sem dúvida de que Portugal está a ser vítima da sua própria fama de país de mergulhadores e fiteiros. Hoje, mais uma vez, o árbitro voltou a borrar a pintura. No entanto, tivessem sido concretizadas um terço das oportunidades que Portugal criou nos 7 jogos e nesta altura de nada disto se falaria nem sequer Liedson teria hoje sido herói.

Na Hungria, a Suécia manteve um cenário acessível para Portugal ao vencer por 2-1 em cima do fim e com 2 golos de tremenda sorte. Se por um lado isto fez com que a Suécia ultrapassasse Portugal, por outro impediu a Hungria de se destacar no 2º lugar.



Perspectivas

Com os 4 primeiros classificados todos com 7 jogos já realizados e faltando 3 para o fim do apuramento, a classificação está assim ordenada:

Dinamarca 17 pontos (14-3)
Hungria 13 pontos (9-4)
Suécia 12 pontos (8-3)
Portugal 10 pontos (9-5)

Faltam jogar:

Portugal: Hungria (fora), Hungria (casa), Malta (fora)
Hungria: Portugal (casa), Portugal (fora), Dinamarca (fora)
Suécia: Malta (fora), Dinamarca (fora), Albânia (casa)
Dinamarca: Albânia (fora), Suécia (casa), Hungria (casa)

Portugal tem portanto um confronto duplo com a Hungria e, caso consiga o pleno (nota-se alguma quebra nos Magiares), fica automaticamente com 16 pontos, faltando depois o jogo na ilha de Malta onde, mesmo que não queira, irá conseguir 3 pontos. Uma coisa é certa: é necessário fazer o pleno com a Hungria para acalentar esperanças de chegar ao 2º lugar visto que o primeiro estará muito complicado.

Já a Suécia irá cumprir calendário em Malta e depois terá uma deslocação muito difícil à Dinamarca, jogando finalmente com a Albânia em casa. Se o primeiro jogo são favas contadas, o segundo será de elevado grau de dificuldade, sendo provável que aí perca pontos. Já o último jogo deverá ser encarado com cautelas pois a Albânia, não sendo uma equipa grande, consegue ser uma equipa chata (os portugueses que o digam!).

Finalmente a Hungria terá no jogo em casa com Portugal o momento decisivo da sua carreira na qualificação. Caso perca, dificilmente se manterá no 2º lugar.

Uma coisa é certa: nada está definido até porque os primeiros 4 ainda têm jogos entre si e muita coisa poderá mudar. A Dinamarca será à partida apurada, seguindo-se uma outra equipa que deverá ser ou a Suécia ou, esperemos que sim, Portugal.


Foto: FIFA

3 comentários:

Wolverine23 disse...

Apuramento???

Tens umas piadas muito fixes, tu, tens, tens...

Abraço

Visconde disse...

Portugal depende da Suécia se vencer os 3 jogos e não me parece que estando a Dinamarca apurada, não deixe de fazer o jeito aos seus vizinhos nórdicos...

Caetano disse...

Meus caros, acho que depois do jogo da quarta-feira poderemos tirar algumas conclusões. Portugal faz 2 jogos contra uma equipa que está 3 pontos à sua frente. Se ganhar ambos (porque não?) continua a 2 da Suécia.

Agora imaginem que a Dinamarca não ganha na Albânia. Será tão impossível assim? Fica com a Suécia a 2 pontos, logo a equipa que em seguida joga na Dinamarca. Não creio que haverá aqui espaço para "jeitinhos" como dizes, oh Visconde. Mas claro, tudo isto é meramente hipotético e não terá qualquer valor se já na quarta-feira Portugal decidir inventar contra os húngaros. Há ainda 9 pontos em disputa. Vamos aguardar com "dranguilidade" ;).