terça-feira, novembro 30, 2010

26 anos da Condecoração de José Maria Pedroto

O caríssimo Armando Pinto em boa hora chamou a atenção para o facto de ontem, dia 29 de Novembro, se terem comemorado os 26 anos da Condecoração de José Maria Pedroto com a Ordem do Infante, pelo então presidente da República, General Ramalho Eanes. Aqui fica um excerto e o link da notícia no blog Lôngara - Actividade Literária e Memória Alvi-Anil

Efeméride – Recordando Condecoração de José Maria Pedroto



No dia 29 de Novembro... de 1984: José Maria Pedroto, já bastante debilitado, ao tempo, devido à doença prolongada de que padecia, recebeu em sua casa a visita do então Presidente da República, General Ramalho Eanes, que lhe entregou a medalha da Ordem do Infante com que o agraciara.


segunda-feira, novembro 29, 2010

Agora também vão desistir das flash interviews

Só é pena que só agora o público tenha descoberto que estas só podem ser usadas para comentar as incidências do jogo. Azar para Jesualdo que, a partir do meio da época passado, era sistematicamente massacrado com questões acerca da sua continuidade ou não no FCPorto.

Vamos ver o que dizem acerca deste assunto os "paineleiros" e "opinion makers" da nossa fenomenal imprensa diária desportiva. Vai uma aposta que vai ser inventada toda a uma cabala contra o treinador-mártir do Benfica?

Adenda
Sobre este artigo disse a OrgulhoAB:

A diferença é que Jesualdo é um senhor e sabe como portar-se.

E fico por aqui,é melhor..enfim...

É caso para dizer, a gente estemos de acordo.

domingo, novembro 28, 2010

Critérios...

Já por mais de uma vez aqui referi esta irresistível tendência dos tablóides da nossa praça e hoje tivemos outro exemplo disso mesmo.

Quem hoje tiver passado os olhos pelas bancas dos jornais, exceptuando o Jogo mas esse vai ser taxado de tendencioso, ficou com a ideia de que o jogo de ontem foi uma grande exibição do Sporting e que o FCPorto teve sorte em sair de Alvalade com um ponto. Ponto final.

Os 3 erros gritantes de arbitragem que tiveram -e de que maneira!- influência no resultado não foram sequer mencionados. Porquê? Porque não interessa ao jornalismo rigoroso e coerente da nossa praça.

Vejam as diferenças entre um jogo em que o árbitro errou para os 2 lados assinalando um penalty que não era e deixando por marcar outro flagrante quando ainda estava 0-0:



E hoje, sobre um jogo em que foi validado um golo irregular contra uma equipa da qual foi expulso indevidamente um jogador e onde, ainda por cima, passou em claro uma agressão monumental, todos os lances em prejuízo do mesmo lado:
Lamentável.

Sporting CP 1 x 1 FCPorto - A lei de Sousa falou mais alto

Para a história ficará sem dúvida o resultado de 1-1 neste jogo entre Sporting e FCPorto. Contudo, será também difícil de esquecer o verdadeiro desastre de arbitragem protagonizado esta noite por Jorge Sousa que, em todos os lances capitais, decidiu contra o FCPorto, primeiro permitindo um golo irregular, que colocou o Sporting em vantagem, e depois deixando passar em claro uma agressão bárbara de Maniche a Moutinho para, pouco depois, "inventar" uma falta de Maicon sobre Liedson e mostrando um vermelho ao defesa-central. Como seria se o jogo fosse 0-0 para o intervalo? E se Maniche tivesse sido expulso como normalmente tem sido? E se Maicon não tivesse saído, obrigando Villas-Boas a abdicar de Falcao? Nunca saberemos. Como eu já disse, para a história fica o resultado de 1-1...

O FCPorto entrou no jogo a léguas daquilo que se esperava. Procurando sobretudo controlar o jogo sem carregar demasiado no acelerador, o FCPorto entregou a iniciativa ao Sporting. Longe da bola, Hulk pouco aparecia e Falcao era obrigado a desgastar-se caindo nas alas e vindo atrás buscar jogo. Como se não bastasse, especialmente na primeira parte, a primeira fase de construção de jogo era sabotada pela péssima prestação de Fernando que raramente acertou um passe e que também falhava de forma displicente a abordagem aos lances quebrando à nascença a iniciativa ofensiva da equipa.

Ainda assim, Falcao teve uma oportunidade de ouro para inaugurar o marcador, isolando-se diante de Rui Patrício mas atirando ao lado. Pouco depois, seria a vez do Sporting ter uma grande oportunidade através de um grande remate de Pedro Mendes à barra da baliza do FCPorto. Sem que ninguém conseguisse desatar o nó do nulo, esperava-se que o resultado chegasse inalterado ao intervalo quando... a verdade do jogo começou a descarrilar e o Sporting conseguiu chegar ao golo por Valdez. O chileno consegue isolar-se, ganha a Maicon e bate Helton fazendo-lhe um túnel. O "único" problema é que, no momento em que Rui Patrício pontapeou a bola, Valdez estava em posição irregular e ninguém mais tocou na bola. Isto à partida invalida a discussão sobre como, num segundo momento, Valdez beneficia do facto de ter ganho um ressalto de bola com o braço na discussão do lance com Maicon.

Ao intervalo, o FCPorto inofensivo e tristonho ficou nos balneários, entrando o FCPorto que todos conhecemos: forte e ambicioso. Os comandados de Villas-Boas carregaram finalmente no acelerador, chegando-se à frente e pegando no jogo. Bastaram por isso cerca de 10m de FCPorto "à FCPorto" para restabelecer o empate, com uma boa jogada que envolveu Moutinho, Hulk e Falcao, com o colombiano a fazer o que sabe fazer melhor.

Logo a seguir, Jorge Sousa voltou a fazer das suas deixando passar em claro uma agressão de Maniche que entrou com tudo ao joelho de Moutinho, quando a bola já nem se encontrava por ali. Vermelho directo (seria o 3º vermelho do médio leonino esta temporada e mais uns quantos jogos na bancada) que ficou por mostrar. 10 minutos depois, contudo, Jorge Sousa não teria quaisquer dúvidas num lance em que Maicon foi displicente e se deixou antecipar por Liedson. Apesar de tudo, o defesa central, procurando ganhar a posição encostou no avançado que, ao seu melhor estilo, "cavou" a falta. Jorge Sousa resolveu armar-se outra vez em protagonista e mostrou o vermelho directo ao defesa central.

Foi o lance que acabou com o jogo. Villas-Boas, como o fizera na Turquia diante do Besiktas, fez sair Falcao fazendo entrar Otamendi e, a partir daí, não voltou a haver uma ocasião clara de golo para qualquer das equipas. Como destaque, apenas mais um momento de Sousa que, para completar a sua imagem de indómito justiceiro anti-Porto, expulsou ainda Villas-Boas.

Este empate acaba contudo por ser um resultado positivo, embora não o ideal, para o FCPorto que desta forma mantém a sua invencibilidade e chega ao fim dos jogos "grandes" da primeira volta (Braga x Benfica x Sporting) com duas vitórias e um empate, e um saldo de golos de 9 x 3 neste particular.

O FCPorto está para já a 11 pontos do 2º classificado que joga amanhã em Aveiro depois do "brilharete" em Telavive mas que, em caso de vitória e ficando a 8 pontos dos dragões, poderá deixar o campeonato mais renhido.


Afinal o que é ser imbatível?

O conceito de imbatibilidade precisa de ser revisto a não ser que no futebol o empate conte como derrota. Já no empate em Guimarães um jornal fizera capa com um sui generis "Afinal o FCPorto não é invencível". Hoje, por seu turno, foi Daniel Carriço que veio manifestar o seu orgulho pelo facto de o Sporting ter mostrado que o FCPorto não é imbatível.

Das duas uma: ou há um superavit de estupidez reinante que não conhece a diferença entre uma derrota e um empate ou, o FCPorto está de tal forma imperial que as escalas tiveram de ser revistas e um empate conta agora como derrota.

sexta-feira, novembro 26, 2010

David Luiz e a coerência da Luz ou O que ontem era verdade...

Querem ver que, em apenas 4 meses, a tórrida paixão e a mística eterna deram em divórcio?

Razão tinha o Pimenta Machado quando dizia que, nisto do futebol, o que hoje é verdade, amanhã é mentira.

Antes:


Hoje:
Mas nem tudo corre mal para as bandas da Luz. Por este andar, os adeptos estão cada vez mais perto de fazer a vontade ao seu presidente, não indo apoiar a equipa nos jogos fora... e já agora em casa também.

Entretanto, é fascinante ver até que ponto vai o alcance da transformação de opiniões:

Antes:

Ainda Jesus não ganhara nada e já era melhor que Mourinho


Depois:
Afinal Jesus não tem capacidade, Mourinho é de outro nível e Villas-Boas não é mau mas ainda não ganhou nada, por isso, não é melhor que Jesus.

E claro:
Arrota que é pescada!

Estes vídeos foram obtidos através do Blog Best Of Futebol, cuja leitura eu recomendo.

segunda-feira, novembro 15, 2010

Modalidades: Resumo do fim-de-semana

Basquetebol: FCPorto 91 x 74 Benfica
Vitória arrancada à bomba!

O Benfica não teve hipóteses diante de um FCPorto extremamente eficaz tanto a defender como a atacar, especialmente no capítulo dos lançamentos de 3 pontos, com 19 bombas a caírem no cesto dos encarnados, impotentes para travar a avalanche azul e branca.

Num ambiente fantástico, com André Villas-Boas a assistir, o FCPorto soube vingar a derrota na Supertaça, derrota por apenas 3 pontos, e mostrou que tem argumentos para ambicionar a conquista do título de campeão nacional.

Greg Stempin foi o MVP, com 16 pontos e 7 ressaltos, bem secundado por Ogirri, que obteve 22 pontos.

O FCPorto segue assim na frente do campeonato, em igualdade com 0 Ginásio, com 3 vitórias e uma derrota, deslocando-se na próxima jornada ao terreno do Sampaense, 4º classificado.


Andebol: Sp. Horta x 18 x 34 FCPorto
Dragões impõem-se nos Açores

Mais um jogo, mais uma goleada. A derrota por um golo em casa do Benfica já lá vai e teve a melhor resposta possível, com duas vitórias consecutivas por larga margem. Ontem, nos Açores, o FCPorto não deu hipótese ao Sporting da Horta, vencendo confortavelmente por 16 golos de diferença.

Os dragões continuam assim na frente com 29 pontos, fruto de 9 vitórias e 2 derrotas, agora apenas a par do ABC visto que o Benfica foi derrotado em casa pelo Sporting.


Hóquei em Patins: FCPorto 3 x 3 Candelária
Empate que não estava nos planos

O FCPorto não foi capaz de se impor na recepção ao Candelária e, depois de um jogo com alternância no marcador, acabou por claudicar já nos instantes finais permitindo o 3º golo dos insulares.

O jogo até começou bem para os dragões que marcaram logo no início pelo inevitável Reinaldo Ventura mas a reacção contrária não se fez esperar e o Candelária inverteu o marcador para 1-2. Antes do intervalo, Emanuel Garcia ainda fez o empate.

Na segunda parte, Reinaldo Ventura conseguiu colocar o FCPorto em vantagem, através da marcação de uma grande penalidade mas, quando já todos pensavam que a vitória já não iria fugir, o Candelária teve forças para ir à procura do empate, marcando a 5 minutos do fim.

O FCPorto desceu para o 2º lugar da classificação com 19 pontos (6v, 1e), atrás da Oliveirense que segue na frente com 21 pontos (7v). Na próxima jornada os dragões deslocam-se a Espinho para jogar diante do Ac. de Espinho.

Marcha do marcador:

1ª parte
1-0 - Reinaldo Ventura
1-1 - Montivero
1-2 - Sérgio Silva
2-2 - Emanuel Garcia

2ª parte
3-2 - Reinaldo Ventura (g.p.)
3-3 - Jorge Silva

sexta-feira, novembro 12, 2010

Ministro suíço comenta goleada do jogo FCPorto x Benfica

Já cá faltava... Quando tempo vai demorar até o Hitler também vir falar do assunto?



PS - ignorem os erros ortográficos.

quinta-feira, novembro 11, 2010

Record elimina Getafe. A Marca não concorda e apura o Getafe

Jogaram-se hoje os restantes jogos dos 16avos de final da Taça do Rei, em Espanha, e o único jogo sem golos foi o do primodivisionário Getafe com clube basco Portugalete, isto depois de um empate a uma bola no jogo da 1ª mão.

Mais emocionante parece ter sido a forma como este resultado foi interpretado pelos jornais dos dois lados da fronteira.

O Record, por exemplo, decidiu apurar o Portugalete:




Já o diário desportivo espanhol Marca optou por apurar o Getafe. Lá, como cá, a imprensa prefere privilegiar os clubes da capital em detrimento dos "periféricos".


Adenda:
Meia-hora depois, alguém se apercebeu do erro. Colocou-se então a questão de como reparar um lapso de todo o tamanho mantendo o termo "sensação" no título. A solução foi simples:

Andebol - FCPorto 38 x 22 Colégio 7 Fontes. Regresso imperial às vitórias


Após a derrota tangencial na Luz, o FCPorto reencontrou depressa o caminho das vitórias e de forma imperial, vencendo sem margem para dúvidas o Colégio 7 Fontes por 16 golos de diferença.

Ao intervalo, mercê de um arranque imparável, o FCPorto já vencia por 21-8! Este resultado permitiu a Obradovic fazer alguma rotatividade nos jogadores, abrandando o ritmo da partida, mas sem nunca perder de vista a seriedade competitiva.

Com este resultado o FCPorto mantém-se no grupo da frente, ex-aequo com Benfica e ABC, preparando-se agora para uma ronda insular, visto que joga contra o Sporting da Horta na próxima jornada, seguindo-se outro jogo fora desta vez ao terreno do Madeira SAD, jogo este que marca o arranque da 2ª volta da 1ª fase do campeonato.

"A bofetada de Hulk a Luís Filipe Vieira"


É este o título de um excelente artigo publicado hoje no Blogue 100 reféns, de Tiago Mesquita, do qual transcrevo, com a devida vénia, algumas passagens:

"É certo que a vingança se serve fria e que Hulk até tem nome de super-herói da BD, mas a luva branca a bater cinco vezes na face de Luís Filipe Vieira foi sentida em todo o lado. E desde que o clube da luz saiu de rabo entre pernas do estádio do Dragão que ninguém houve um pio do Presidente do Benfica. O tal que adora cantar de galo sempre que lhe dão oportunidade, ou as que o próprio cria com entradas intempestivas em programas de televisão em directo.

(...)
Hulk é o jogador que Vieira considerou "vulgar e que apenas se distinguia no campeonato português por ser o jogador que mais bolas perdia dentro de campo". Disse ainda na altura, com a bazófia habitual, "não entender tanta polémica em relação ao castigo (a Huk), pois considerava não ser este um jogador fundamental para a equipa do Porto".

(...)Não ouvi qualquer declaração do Presidente do Benfica em relação ao jogo ou a Hulk em particular. Deve ter engolido uma bola de pêlo. Batam-lhe nas costas, não vá o homem ficar verde. E não o queremos sufocado, só mesmo pela pressão de ver o Porto voltar ao lugar de onde nunca devia ter saído, sem nada poder fazer. Na frente. Até ao fim.

quarta-feira, novembro 10, 2010

Modalidades: Resumo do fim-de-semana

Andebol: Benfica 31 x 30 FCPorto
Últimos minutos decisivos ditaram derrota do campeão

O FCPorto perdeu por 31 x 30 na deslocação à Luz e, em consequência disso, deixou-se apanhar na liderança do campeonato pelos encarnados e pelo ABC. Os dragões até tiveram um excelente desempenho, esbarrando contudo no guarda-redes contrário que teve uma tarde de grande inspiração.

O FCPorto chegou ao intervalo a vencer por 2 golos mas chegou a ter uma vantagem de 4 instantes antes. Contudo, ao baixar o ritmo, permitiu que o Benfica reduzisse a desvantagem, naquilo que foi uma injecção de moral para os encarnados que voltaram mais afoitos na 2ª parte.

Já perto dos instantes finais da partida, o FCPorto chegou a ter a possibilidade de pelo menos trazer o empate da Luz mas, mais uma vez, o guarda-redes contrário foi decisivo e, no contra-ataque, o Benfica sentenciou o jogo.

É contudo um resultado que não belisca em nada as aspirações do FCPorto para esta época.


Hóquei em Patins: Benfica 5 x 7 FCPorto
Eneacampeões ditam a sua lei e vingam Supertaça

Quem não facilita é a equipa de hóquei em patins do FCPorto que, vingando o percalço da derrota contra este mesmo adversário no jogo da Supertaça, não foi de modas e foi à Luz bater os encarnados por 7 x 5, com Reinaldo Ventura em destaque ao apontar 4 golos.

Num jogo bastante emotivo, o FCPorto até começou por estar em desvantagem, fruto de um golo de Ricardo Pereira. Contudo, numa reacção imparável, o FCPorto deu a volta e chegou ao intervalo a vencer por 3-1.

Na segunda parte, contudo, o Benfica conseguiu empatar o jogo a 3 golos, igualdade que seria desfeita 2 minutos depois por Reinaldo Ventura. A vantagem acabaria por ser alargada para 3-6. Nos últimos minutos, já com o seu treinador expulso, o Benfica ainda conseguiria reacender a esperança de pontuar ao reduzir para 5-6 mas, a apenas alguns segundos do final do jogo, Emanuel Garcia liquidou em definitivo as aspirações dos locais, assegurando a conquista da vitória.

O FCPorto lidera o campeonato com 18 pontos, em igualdade pontual com a Oliveirense, fruto de 6 vitórias em outros tantos jogos, recebendo o Candelária na próxima jornada.

Marcha do marcador:
1-0 Ricardo Pereira
1-1 Emanuel Garcia
1-2 Pedro Moreira
1-3 Reinaldo Ventura (pen.)
2-3 Diogo Rafael
3-3 Valter Neves
3-4 Reinaldo Ventura (l.d.)
3-5 Reinaldo Ventura (l.d.)
3-6 Reinaldo Ventura (l.d.)
4-6 Cacau
5-6 Cacau (l.d.)
5-7 Emanuel Garcia (l.d.)

terça-feira, novembro 09, 2010

segunda-feira, novembro 08, 2010

E agora, Jesus?


Quando perdeu por 2-0 com o FCPorto no jogo da Supertaça Cândido de Oliveira em Agosto último, Jesus desculpou-se com o facto de alguns dos seus jogadores terem participado no Campeonato do Mundo da África do Sul e ainda com o facto dos reforços ainda não terem assimilado rotinas. Nesse jogo contra o FCPorto, o Benfica alinhou com 2 reforços, Airton e Roberto, enquanto o FCPorto alinhou com João Moutinho. Em termos de mundialistas, o Benfica teve 3 em campo (Coentrão, Amorim e Cardozo), enquanto o FCPorto também teve 3 (Álvaro, Rolando e Meireles). A desculpa estendeu-se depois para os jogos seguintes, introduzindo contudo várias outras nuances.

A desculpa dos árbitros foi uma delas, numa altura em que todos os adeptos pediam a cabeça de Roberto e celebraram as notícias da sua possível dispensa (os árbitros desestabilizaram o portero, sem dúvida). Entretanto, o discurso em relação aos reforços mudava e Jesus, que disseram ipsis verbis que Gaitán era o substituto natural de Di Maria, veio depois lamentar a transferência deste, tal como Ramirez. Vale a pena recordar que o Benfica realizou as vendas a um preço abaixo das cláusulas de rescisão estipuladas. Isto sucedeu após Vieira garantir que apenas transferiria um jogador nessas condições, jogador que cheguei a pensar tratar-se de Makukula que, com uma cláusula de rescisão de 40 milhões de euros, foi transferido por... 2 milhões para o desterro do campeonato turco.

O toque de originalidade veio depois quando, esgotado o discurso de Jesus, Vieira disparou contra tudo e contra todos e apelou ao boicote dos adeptos aos jogos do Benfica fora de casa, mostrando, como já antes tinha mostrado na original vitória eleitoral obtida graças a um golpe estatutário, que lidera um clube com um modelo democrático sui generis. Os adeptos é que não foram de modas e mostraram que podem ter um complexo de perseguição do tamanho do Estádio da Luz mas se estão marimbando para os diktat emanados da Luz.

A vitória no Dragão mais não fez do que trazer à tona a grande turbulência e inconstância que grassam este ano nos corredores da Luz. De facto, um grupo de jogadores de qualidade mas contrariados, juntamente com contratações que se revelaram um falhanço, estão muito longe de formar uma equipa...

Cruel ironia esta, na época em que o treinador do Benfica apontou a Liga dos Campeões como objectivo, para além de prometer a revalidação do título.

E agora, Jesus?

PS - Quantos sapos serão engolidos esta semana nos veículos de comunicação escrita encarnada?

Vitória do FCPorto em destaque na imprensa estrangeira

A retumbante vitória do FCPorto fez eco lá fora.

No Brasil, o Lance! destaca a forma como o FCPorto atropelou o Benfica obtendo uma goleada histórica. O jornal brasileiro destaca em particular a grande exibição de Hulk dando também eco às declarações de Villas-Boas no final do jogo.

Em votação on-line, Hulk está a ser considerado pelos cibernautas como o melhor jogador brasileiro no estrangeiro da semana, com 52% dos votos, à frente de Pato (Milan) com 24%, Nilmar (Villareal) com 18% e Cacau (Estugarda) e Emerson (Lille) com 4% e 2% dos votos, respectivamente.

Em França também não deixaram de dar espaço à esmagadora vitória dos dragões. "FCPorto humilha o Benfica" é o título da notícia do l'Équipe, que não deixa de referir que os dragões vão já em 3 triunfos consecutivos frente aos lisboetas, este conseguido de forma muito fácil.


Já segundo o France Football, Coentrão e os seus nada puderam contra Hulk e os seus colegas de equipa, num jogo que não teve suspense, ao contrário do que seria de prever. Para esta publicação, só um milagre ou um descalabro surpreendente poderão impedir o FCPorto de reconquistar o título.

Aqui ao lado, o jornal pró-Barcelona Sport destaca o invulgar golo de Radamel Falcao, num gesto técnico pouco ortodoxo, enquanto a Marca dá destaque ao Humilhante golpe de autoridade desferido pelo FCPorto nos rivais lisboetas.

Na Internet o Goal destaca a impotência de David Luiz perante Hulk, com o onze experimental do Benfica a ser literalmente esmagado. Segundo esta publicação, o Benfica foi um flop!

Mais diplomático e sintético é o site da FIFA que se limita a relatar as principais incidências da partida.

FCPorto 5 x 0 SL Benfica - Dragões vulgarizam Benfica e mostram ser a melhor equipa portuguesa


Um hino ao futebol! O FCPorto deixou esta noite bem vincada a sua superioridade e a qualidade que coloca em campo. Contra um Benfica que no início da época até apontou à conquista da Champions League, os dragões soltaram toda a sua força e cilindraram o adversário com números que já não se usam e que nem as asneiras do árbitro conseguiram ensombrar.

Justifica-se o apelo de Vieira para não assistirem aos jogos do Benfica. Esta equipa é uma anedota quando comparada com a da época passada e a desilusão é grande para os lados da Luz. Hoje, o Benfica entrou em campo com medo. Irónica esta situação num dia em que se estabeleceu o recorde de protecção policial dada a uma equipa de futebol em Portugal. Jorge Jesus sabia o que tinha pela frente e temeu o pior, preferindo antes de tudo evitar sofrer golos, fazendo entrar Sidney para o eixo da defesa de modo a colocar David Luiz na esquerda para tentar parar Hulk. Ironia que tenha depois usado como desculpa o facto de Hulk ter estado numa noite inspirada... sinal de que não tem acompanhado os últimos jogos do FCPorto.

Após o jogo contra o Leiria, muitas vozes críticas se levantaram acerca das alterações feitas por Caixinha no onze da equipa do Lis, algumas até em tom de suspeição. Será que agora ouviremos o mesmo em relação a Jesus ou percebeu-se que este FCPorto é simplesmente intimidatório?

Do lado azul e branco, Villas-Boas também apresentou uma alteração forçada, pela não recuperação de Fernando depois da lesão na batalha naval de Coimbra. Entrou Guarín, que já fora testado na posição diante do Besiktas, e este cumpriu na íntegra o seu papel. Alguém viu Carlos Martins?

Quanto ao jogo, este foi essencialmente de sentido único. Com Hulk a assegurar sozinho a profundidade do flanco direito, deixando Sapunaru descansado na marcação a Coentrão, que só se viu no penalti cometido na 2ª parte. Sintomático é o facto de TODOS os golos do FCPorto terem nascido na direita do ataque. Aproveitando a criação de desequilíbrios, tanto individuais como colectivos, naquele sector.

Todos os goleadores do FCPorto (e os 3 melhores do campeonato) marcaram. Primeiro Varela, a passe de Hulk, depois Falcao, servido duas vezes por Belluschi, e finalmente Hulk, primeiro na marcação de um penalti cometido sobre ele próprio e depois, num remate de fora da área a 110 km/h, após solicitação de James.

Quanto ao Benfica apenas por uma vez incomodou verdadeiramente Helton, através de um remate de David Luiz, ao qual o capitão portista respondeu com uma grande defesa, mostrando que a qualidade do FCPorto não reside apenas no meio campo e ataque mas que começa, precisamente nada defesa.

Quando Luisão viu o cartão vermelho, por cotovelada a Guarín pensando talvez que ainda se disputava a Supertaça e que tudo era permitido, o Benfica perdeu toda e qualquer capacidade de eventualmente ainda ter algo a dizer na expressão do resultado final. No entanto, também pode o Benfica agradecer ao árbitro apenas ter sofrido 5 golos. Aquela falta de Sálvio na grande área, ao cortar o cruzamento de Varela, foi por demais ostentisvo e em tudo idêntico à falta que valeu o cartão amarelo a Carlos Martins. Dois julgamentos para lances idênticos com jogadores da mesma equipa.

No entanto, o FCPorto voltaria a ter razões de queixa do árbitro já perto do final do jogo quando Maxi Pereira cedeu canto e depois pontapeou a bola para a bancada. Seria o 2º amarelo e consequente expulsão do uruguaio. Lances evidentes e que o árbitro deixou passar.

Para finalizar, há que realçar a atitude de Villas-Boas que com o jogo perfeitamente resolvido e com o Benfica já KO, mostrou toda a sua ambição ao tirar Guarín para fazer entrar Walter. É esta a ambição actual do FCPorto e é esta a ambição que, inevitavelmente, irá levar o FCPorto a grandes conquistas esta época.


Destaques individuais

É difícil, no meio de tantas exibições excelentes, destacar um jogador em particular. Falcao, sempre combativo e o primeiro a defender, conseguiu dois grandes golos enquanto Hulk marcou também dois e fez uma assistência.

No entanto, aquele que foi para mim o jogador mais preponderante, foi Fernando Belluschi, o verdadeiro dínamo do FCPorto esta noite no Dragão. Para além de ter preenchido o meio campo, soube também interpretar da melhor forma as indicações de Villas-Boas, aparecendo na esquerda para criar desequilíbrios na remodelada defesa do Benfica e para fazer duas assistências para golo. A grande época do FCPorto passa pela "explosão" de Hulk mas também muito pela qualidade de jogo que o argentino tem posto em campo.

"Humilhante golpe de autoridade do FCPorto"

O jornal espanhol Marca deu destaque à vitória do FCPorto. No artigo dedicado à estrondosa vitória diante do Benfica, a Marca destaca a "dura lição de futebol" dada aos encarnados, referindo ainda o conjunto trabalhado, sólido na defesa e venenoso no ataque azul e branco.