sexta-feira, agosto 28, 2009

Liga dos Campeões - Analisando os adversários (actualizado)

Chelsea Football Club

Os "Blues" dispensam apresentações, sendo sem dúvida a equipa mais forte do grupo, natural candidato ao 1º lugar, e um crónico assumido candidato à vitória na prova, tendo sido finalista vencido na época 2007/2008.

Com um orçamento anual suportado pelo caprichoso multimilionário Roman Abramovich, o clube fez a contratação mais sonante na figura de Carlo Ancelotti, o experiente treinador italiano até à época passada treinador do Milan, clube ao serviço do qual conquistou um Campeonato Mundial de Clubes, duas Ligas dos Campeões, duas Supertaças Europeias, um Campeonato de Itália, uma Taça de Itália e uma Supertaça de Itália, isto em 8 épocas. Ao chegar a Londres, Ancelotti não perdeu a senda ganhadora, tendo já esta época conquistado uma Supertaça de Inglaterra.

A equipa galáctica mantém-se e conta como vitórias os jogos disputados até agora na presente época, tendo a aliança da fantasia e a explosividade dos seus jogadores sido adaptados com êxito ao serviço da forte táctica da escola italiana trazida por Ancelotti.

Por sectores:
Baliza: Aqui, incontestavelmente continua o checo Petr Cech, um dos melhores guarda-redes do Mundo, extremamente forte entre os postes e com excelentes reflexos mas que ocasionalmente tem tendência para largar algumas bolas, causando alguns calafrios, sem que no entanto isso seja capaz de beliscar o seu estatuto. Tendo vencido por três vezes o prémio de melhor guarda-redes da Liga dos Campeões e por três vezes o prémio de melhor guarda-redes da Europa, é legítimo dizer que a força da equipa londrina começa indiscutivelmente na baliza.

Defesa: Bosingwa, Ricardo Carvalho, John Terry e Ashley Cole, com eventualmente Ivanovic e Alex à espreita, é este o quarteto defensivo que o ataque do FCPorto terá de defrontar. Possui uma dupla de centrais muito sólida, capaz ainda de fazer a diferença no ataque em lances de bola parada, e dois defesas laterais que apoiam bastante o ataque (quem não se recorda de Bosingwa?). Esta última característica poderá no entanto ser explorada pelo FCPorto se conseguir bascular a equipa de modo a aproveitar os espaços vazios nas costas dos defesas. Será um desafio enorme para Rodriguez, Hulk e Falcao.

Meio-campo: Com o pêndulo Obi Mikel, suportando a dinâmica de Malouda e Essien, aos quais se junta o cerebral futebol de Lampard, o meio campo do Chelsea é um dos mais consistentes do futebol moderno. Conta ainda com as opções de luxo Deco e Ballack, num filão inesgotável de fantasia e objectividade na hora de servir os avançados. Para este quarteto, o FCPorto não poderá alinhar apenas com 3 homens de meio campo pois será fatal arriscar a inferioridade numérica nesta zona vital do terreno. Para o primeiro jogo em Londres, Jesualdo deverá apostar em Rodriguez, Meireles, Fernando e Tomás Costa, este em detrimento de Belluschi.

Ataque: O ataque do Chelsea está assente em duas unidades: Drogba, o verdadeiro motor e um dos melhores avançados do planeta, ao lado de Anelka, também ele goleador mas mais amorfo do que o companheiro e, como tal, mais fácil de marcar. A defesa do FCPorto terá de estar extremamente concentrada pois qualquer deslize pode ser fatal.


A eliminatória

O FCPorto começa a fase de grupos em Londres, no jogo à partida mais difícil da série. Será um duríssimo teste numa altura em que Jesualdo ainda não terá conseguido refinar os automatismos pretendidos. Stamford Bridge à partida será o terreno mais improvável para pontuar mas, se pensarmos no exemplo de Old Trafford, tudo é possível. Contudo este jogo, de boa memória, aconteceu no ano passado numa fase mais avançada da época e estamos todos ainda recordados do que sucedeu quando o FCPorto teve de ir jogar a Londres com o Arsenal há um ano atrás, quando tentava ainda esquecer a saída de Bosingwa, Quaresma e Paulo Assunção.

Esta será a terceira ocasião em que o FCPorto defronta o Chelsea na Liga dos Campeões. Dos confrontos anteriores sobressai a supremacia dos londrinos em casa e uma maior dificuldade destes nas deslocações ao Dragão.

2006/2007 - Oitavos de final
FCPorto 1 - 1 Chelsea (Raul Meireles 1-0)
Chelsea 2 - 1 FCPorto (Quaresma 0-1)

2004/2005 - Fase de Grupos
Chelsea 3 - 1 FCPorto (McCarthy 3-1)
FCPorto 2 - 1 Chelsea (Diego 1-1, McCarthy 2-1) -vídeo 1- vídeo 2

Daqui se tira que se o Chelsea nunca conseguiu derrotar o FCPorto no Dragão (O FCPorto nunca tinha perdido com equipas inglesas até ao ano passado com o Man Utd), também o FCPorto nunca conseguiu melhor que uma derrota em Londres embora, em 2007 tivesse estado perto de causar sensação. Contudo, um erro de Helton e a diferença de soluções nos bancos, acabaram por ditar a eliminação da prova.

Como será este ano?

Ultimas:
Drogba e Bosingwa, castigados pelos incidentes do jogo contra o Barcelona na época passada, não jogarão em Londres. (Obrigado OrgulhoAB pela chamada de atenção!).

Shevchenko já não é jogador do Chelsea, tendo-se transferido para o Dínamo de Kiev.


7 comentários:

Orgulhoazulebranco disse...

Concordo com tudo menos com uma coisa: o meio-campo para a ida a Londres.
Tirar Belluschi e pôr o Tomas?Não tenho nada contra o Tomas Costa,mas para mim,seria Fernando,Meireles,Belluschi,Rodriguez ou Valeri.
Bem sei que Valeri e Cebola fizeram uma pré-época com limitações,mas estão cada vez melhor,e eu arriscava jogar com um deles.Talvez o CR10 pela experiência.E assim facilmente se desdobrava o esquema para um 4-4-3.

Não há dúvida que desta vez temos um leque de opções mais vasto.Nada que se compare ao Chelsea,é evidente,mas melhor do que em 2006/2007.

E viva aos treinadores de bancada =)

Caetano disse...

O melhor de ser treinador de bancada é esta possibilidade de mexer nas equipas como quem joga às damas :) Viva mesmo!

Em relação a essa minha opção por Tomás Costa em detrimento de Belluschi, é simplesmente porque eu acho que o Belluschi ainda não consegue ser tacticamente rigoroso deixando muitas vezes algum espaço nas costas devido à ânsia de ir mais à frente e depois não recuperar. Isso cria logo um desequilíbrio que pode ser fatal à equipa até porque dar espaço a Lampard, Essien e companhia é a morte do artista.

Tomás Costa por outro lado ajuda e de que maneira a preencher os espaços no meio campo e é muito disciplinado tacticamente. Jogava-se com uma linha de 4 médios com Rodriguez, Meireles, Fernando e Tomás Costa, com Rodriguez a "segurar" Bosingwa. Hulk poderia jogar solto na frente jogando em diagonais a partir do espaço nas costas dos defesas laterais e procurando servir Falcao "metido" na área entre Terry e Carvalho ou, à Hulk, procurando a sua sorte sempre que tivesse a oportunidade.

No Dragão aí as coisas são diferentes. Belluschi poderia jogar, sim senhor até porque o Chelsea deverá estar a fazer gestão do plantel e não vem jogar tão ofensivamente como fará em Londres.

Em relação a Valeri... ainda não se viu muito do médio. Como dizes, tem a preparação mais atrasada, tal como Rodriguez mas este tem a vantagem de já saber como se deve movimentar dentro do modelo de jogo de Jesualdo. Além do mais, o jogo de Londres acontece demasiado cedo para arriscar Valeri. Mas lá está, vale o que vale e o Jesualdo tem esta mania de não querer saber de nada daquilo que eu digo... :)

Abraço

Orgulhoazulebranco disse...

ahah =) a mim também não me dá muita atenção xD

Percebo a opção pelo Tomás Costa,é verdade que o Belluschi não compensa muito bem na defesa e não sei se até lá vai melhorar nesse aspecto,apenas me faz alguma confusão vê-lo no banco,mas compreendo a opção pelo Tomas Costa.
Mas isto é sinal que temos por onde escolher,reforçando a ideia que temos um leque de opções melhorado.

dragao vila pouca disse...

Idem sobre o Chelsea.
Estás um especialista...

Abraço

Caetano disse...

Vila Pouca, quando for grande quero ser o Vilas Boas e trabalhar para o Mourinho :)

Achei que seria interessanter deitar um "lamiré" aos adversários. As informações sobre o APOEL é que foram mais complicadas de obter mas amanhã estão no ar.

Abraço e venha a Naval! Até os comemos.

dragao vila pouca disse...

Exactamente, trabalhares para um treinador novo pois, burro velho não aprende línguas - nada de extrapolações...

Um abraço

Caetano disse...

Então está bem. Não vou extrapolar :)