terça-feira, fevereiro 02, 2010

Golo de Mariano González

Só para dizer que me parti a rir...

5-1, isto é o que dá em jogar com dois Nº10 em vez de nenhum como é normal... :p

3 comentários:

Nuno Silva disse...

Um jogo límpido, asséptico no que diz respeito à arbitragem, sem polémicas, sem casos…

O Porto alinha sem Bruno Aves, com Maicon, a juntar-se a Alvaro, Rolando e Fucile. No meio o tridente Fernando-Belluschi-Meireles… o primeiro meio campo com dois médios criativos em quase 4 anos de Jesualdo. Na frente o Varela, Falcão e Mariano.

A primeira parte foi domínio e controlo do Porto de fio-a-pavio. Uma entrada fortíssima, com a equipa bem subida no relvado, junta, compacta, a pressionar, a recuperar bolas no meio-campo ofensivo e a chegar por várias vezes à área com a bola controlada. Deve ter sido o jogo com o maior numero de toques na bola, por jogada do Porto.

A oportunidades de golo foram surgindo, no primeiro tempo, quer por bolas paradas ou jogo apoiado e de forma muito natural o Porto “trisou”: Rolando num canto, Falcão de pé direito e Falcão de cabeça.

No primeiro tempo a única coisa pouco natural foi mesmo o excelente golo de Izmailov, ao qual vou abster-me de dizer que foi com uma ligeira cumplicidade de Beto, que desvia mal a bola… bate no poste antes de entrar.

Por falar em Frangos, diga-se que o Patrício também não esteve no seu melhor: no golo do Mariano e o primeiro do Falcão ele deveria ter feito bem melhor.

Foi a melhor primeira parte do Porto este ano. Foi uma das melhores primeiras partes de Jesualdo: para comparar, lembro-me apenas da primeira parta na Luz, em Manchester e Vicente Calderón, em 2008… Melhor qualidade de jogo, talvez só mesmo aquela brutal segunda parte em Stanford Bridge, apesar do resultado.

O meio campo esteve fantástico, até Fernando, exceptuando um disparate que resultou numa perda de bola a meio campo, esteve bem e a participar activamente na construção do jogo. Belluschi é o melhor marcador de bolas paradas e juntamente com o Rúben, permite que o Porto crie, encontre e use diversas opções para progredir no ataque: pelas linhas, pelo meio, em posse, em circulação, em transição rápida… Já Rúben, mostrou que tem uma enorme visão de jogo, amplitude de movimentos, acerto no passe de média-longa distância. Encontra alternativa como nenhum outro, acompanha as jogadas dando apoio e linhas de passe e permite que a equipa chega dentro da área adversária em posse de bola e em triangulações constantes.

Na frente, um possante Varela, teve a companhia de um acertado Mariano e uma enorme Falcão. Falcão é relativamente baixo, lento, não muito possante… mas tem uma cultura táctica impressionante, move-se dentro e fora da área com muita esperteza, luta, desgasta, domina, segura, roda e remata (de pé ou cabeça) com uma eficácia a toda a prova. É de facto um excelente avançado, pena é que não tenha uma capacidade de progressão em drible ao mesmo nível.

A segunda parte começa como se desenrolou todo o primeiro tempo… o Porto em cima do Sporting e a marcar bem cedo, por Varela, ao minuto 3. E pouco depois um grande golo do Mariano a coroar a sua boa exibição. O jogo continuou vivo, apesar de alguma contenção de parte a parte, e gestão de esforço... até porque o Porto teve menos 1 dia de descanso.

Ao minuto 90 o Sporting reduz para 5-2, com golo de Liedson. Ao golo sucede uma reacção estranha da plateia… um aplauso! Pareceu-me que foi um aplauso à própria equipa e não ao golo… mas se alguém conseguir explicar, faça-o…

Fica o registo do único Porto de Jesualdo com 2 médios criativos num jogo grande… o resultado é o que se vê!

O resultado foi dilatado, moralizador e além de justíssimo espelhou toda a qualidade de jogo que o Porto empregou hoje: mérito. Foram 2 jogos seguidos dessa coisa rara: bom futebol.

Obrigado sr.prof. e atletas. Este é o Porto do qual tínhamos saudade. Possante, afirmativo, a jogar para a bancada, sem medos, sem invenções… completamente indiferente às adversidades que lhes podiam artificialmente ter colocado. A jogar assim nem árbitros, delegados, nomeações, juízes, cervejeiras… nos param!

dragao vila pouca disse...

Cara Sete_Luas, só nós sabemos, ao contrário do Caetano, porque não ficamos em casa.

Vi isto no Dragão:«O melhor Porto da época e ao nível do melho Porto deste Século.

Sou exigente e não me contento com pouco, mas ontem foi um Porto à boa maneira dos bons e velhos tempos, que teve tudo, desde a atitude correcta, a concentração necessária e a qualidade de uma grandíssima equipa. Houve talento à solta, grandes golos, jogadas bonitas, posse de bola e controlo do jogo, enfim, uma exibição completa.

É assim que se responde a todos aqueles que duvidam, que desacreditam, que se deixam impressionar por uma máquina de propaganda que não pára de nos provocar, enquanto se cala, sem vergonha e sem pudor, perante as sucessivas nojeiras a que vamos assistindo.

Por todas as razões, este foi o Meu Porto! Parabéns F.C.Porto!

Um abraço

Sete_Luas disse...

E que golo... juro-vos que meia bancada não acreditou quando me desmanchei a rir e disse que o golo tinha sido do Mariano. Ouso mesmo dizer que Mariano fez um jogo quase irrepreenvível. É que mais espantoso que o golo foi o passe para o golo do Varela, foi EFECTIVAMENTE um excelente passe executado na perfeição... Tiro o chapéu a Mariano (e duvido que me ouçam dizer isto outra vez :p).
Quanto ao jogo, acho que, pela primeira vez esta época, o resultado não faz justiça ao jogo, não pelos motivos negativos do costume mas pelos positivos. Isto sim, é o meu Porto... E que bom é estar na bancada com exibições destas, sem dúvida alguma, caro Vila-Pouca. :)

(Nota de rodapé sem importância: gostei particularmente de chegar a casa ligar a televisão na sic notícias e a seguir à noticia da goleada do Porto surgirem mais filmagens do tunel da luz q envolverem Rodriguez, Helton e Fucile... Há jogos de bastidores mto baixos mesmo... Contra tudo e contra todos...)