quarta-feira, fevereiro 17, 2010

FCPorto 2 x 1 Arsenal... Muito curto!

Muitos passes errados, muito jogo físico (Ruben Micael e Fàbregas que o digam), muitas decisões erradas e um resultado que é curto para a 2ª mão. O FCPorto cumpriu o exigido e, à semelhança do último encontro com o Arsenal, marcou 2 golos. Pena ter sofrido um golo muito consentido que complicou a tarefa da 2ª mão no próximo dia 9 de Março.

O jogo valeu no entanto pela entrega dos jogadores e, se mais fosse preciso, pela afirmação de Ruben Micael como um dos grandes reforços de 2009/2010, jogando sem complexos, olhos nos olhos e desestabilizando os adversários directos. Aliás, a forma como "criou" o 2º golo foi paradigmática, mostrando concentração e vontade de vencer, conseguiu pressionar o árbitro e o guarda-redes adversário e, mal apanhou a bola, chamou Falcao e marcou rapidamente o livre sem dar hipóteses quer aos adversários, quer ao árbitro. Nos antípodas ficou-se Hulk, como já havia previsto ontem. O brasileiro voltou com tanta vontade de mostrar serviço que se agarrou demasiado à bola e perdendo-a sistematicamente em incursões inconsequentes.

Para a história fica o golo de Falcao que irá entrar para o anedotário do futebol europeu e que, a esta hora, já deverá estar pelo Youtube, isto embora o primeiro, por Varela, também não lhe fique atrás.
Registe-se a azia de Arséne Wenger que preferiu atirar as culpas da derrota ao árbitro devido ao que se passou no 2º golo, isto quando os seus jogadores, incluindo o próprio capitão da equipa Fàbregas, assumiram a sua ingenuidade no lance em causa. Golo limpo, portanto, que resulta na caricatura dos ingleses remetidos a uma espécie de meninas de coro ingénuas.


Imagem: UEFA

10 comentários:

dragao vila pouca disse...

Arsenal, grande equipa, grandes jogadores, um futebol de toque em progressão, rápido e difícil de contrariar.
Um bom Porto, a quem falta ritmo frente a equipas destas, habituadas a outros andamentos, sem esquecer os árbitros, que, e ao contrários dos nossos, deixam jogar e isso causa ainda maior desgaste.

Conclusão:
uma vitória, mesmo que pela diferença mínima e com um golo sofrido é uma vitória. Mas para que essa vantagem permita a passagem da eliminatória, vai ser preciso um Porto como em Manchester e em Madrid, na época passada.
Eu acredito, mesmo tendo consciência do enorme obstáculo que temos de ultrapassar...

Quanto ao curto...veremos. Também em 2004 diziamos o mesmo.

Um abraço

Caetano disse...

Amigo Vila Pouca

De facto aquele meio-campo inglês deu água pela barba ao FCPorto... mas se todos tivessem jogado descomplexados como o Ruben, outra história estaríamos aqui a contar.

Quanto ao ser ou não curto, obviamente também me veio à memória essa eliminatória contra o Man Utd. Infelizmente, nessa altura, o FCPorto permitia que os adeptos sonhassem. Vai ser mais do mesmo como já vimos ao FCPorto de Jesualdo: se o Arsenal marcar primeiro, o FCPorto não terá muitas hipóteses.

Sete_Luas disse...

Eu gostei do início do jogo do FCP depois pareceu-me mais do mesmo, fomos lentamente adormecendo até termos de esperar pela segunda parte para ver mais Porto... e sempre, sempre a sensação de termos de aguentar o jogo todo "com eles na mão"... É curto? É mais do que curto... até porque o Arsenal vai entrar em campo na sua própria casa ferido no orgulho de ter perdido com dois golos tão fruto de culpa própria... Valha-nos Rúben Micael e esperemos que MAriano esteja num dia inspirado, que Meireles acuse menos a falta de ritmo de jogo, que Hulk mate a "fome" antes de sair de casa para não cometer certos e determinados erros que já lhe eram reconhecidos antes da paragem, que Rodriguez volte depressinha, que Fucile se lembre do jogador que era o ano passado e que Falcão esteja de garras bem afiadas. Até lá... venha o Braga e jogue-se futebol, preferencialmente!!!!!

Caetano disse...

Vai ser preciso, até porque o Arsenal de 9 de Março já poderá contar com Van Persie, Song, Arshavin,...

The Blue One disse...

Foi um jogo com um Golo de Varela muito esquisito do qual até o seu autor se riu e outro que mostra a Classe e Maturidade que o Madeirense Micael trouxe á equipa Portista. Ainda estou para perceber porque razão o FC Porto não o contratou logo no incio da temporada.

Foi uma vitória que soube bem á generalidade dos Portugueses e dos Portistas, pois muitos ainda tem na memória a cara de gozo que o Treinador Françês fez quando goleou o FC Porto em Londres há umas épooas atrás.

Não entendo o porque de tanta Critica a Jesualdo e à equipa Azul e Branca que na Europa do Futebol tem de jogar desta maneira e não á "mandão" como muitos querem. É a realidade do nosso Futebol e da equipa que temos. E muito mérito tiveram o Treinador e os Jogadores que estão no intervalo a vencer uma equipa que é de um Campeonato doutra galáxia.

Uma palavra final para os Parolos de Encarnado vestido que tentam minorizar esta importante vitória do Porto e de Portugal:

Internen-se numa Instituilção Psiquiatrica o mais rapidamente possivel, pela vossa Saúde e pela Saúde dos outros que tem de vos aturar.

Cumprimentos e saudações Portistas!!!

Alan ♪ disse...

Jogos de volta da Champions promete

Anónimo disse...

Este pessoal não aprende, os vídeos da uefa não param mt tempo no youtube...

Caetano disse...

Caro anónimo, não faz mal. Eu sei que os golos lhe ficaram gravados na memória... ;)

Caetano disse...

Blue One, parece-me que o R. Micael não foi contratado no início da temporada porque não tinha sotaque espanhol em dose suficiente. Agora mais a sério, é preciso analisar os negócios da SAD no início de época: totalidade dos direitos desportivos de Guarín no negócio Paulo Machado, Belluschi (um velho namoro) e Valeri (empréstimo de 2 anos que seria um excelente negócio se o jogador confirmasse os seus créditos). Infelizmente, Guarín continuou irregular, Belluschi foi preterido por Guarín quando começava a afirmar-se e Valeri, sabe-se lá porquê, depois de um grande jogo em Madrid, "desapareceu" do onze. Parece-me que, como fazia falta um médio que garantisse estabilidade exibicional (coisa que nenhum dos outros conseguiu) e ainda trouxesse um acréscimo de qualidade ao plantel, num jogador capaz de assegurar posse de bola e movimentos de transição na frente, a SAD lá se decidiu finalmente a fazer um investimento.

No jogo de ontem, soube bem ver a indignação de Wenger, é um facto, sobretudo pelas reclamações sobre um golo que ele não quer admitir que aconteceu por ingenuidade da sua equipa. Os jogadores, esses, assumiram-no e o resto é conversa.

Quanto às críticas a Jesualdo elas existem porque, se este modelo é bom para jogar a este nível contra este género de equipas de outro nível competitivo, já para "consumo interno" tem-se revelado pouco produtivo e, ainda por cima, com exibições paupérrimas. É certo que poderemos argumentar que entre esta época e a anterior o FCPorto tem um rendimento semelhante e a concorrência é que está mais forte mas a própria concorrência serve de barómetro para o sucesso. Se formos ver os jogos em que o FCPorto perdeu pontos este ano, vamos constatar que faltou acima de tudo garra e muita atitude. Ah! E também jogar 90 minutos e não apenas 45.

Seja como for, a favor ou contra Jesualdo, dia 9 cá estaremos "com bandeiras e autocolantes" a puxar pelo FCPorto!

Abraço

Caetano disse...

Alan, o jogo de facto promete mas eu gostava mesmo era que o Jesualdo prometesse que não ia para lá com a atitude com que foi na última vez...

Nunca sabemos o que esperar.