domingo, fevereiro 07, 2010

FCPorto em retoma

Começo este artigo por endereçar um abraço a todos os leitores do Zé do Boné e por pedir desculpa pela ausência a que fui forçado nos últimos tempos por motivos de força maior. Seja como for, cá estamos de volta para analisar o momento actual do universo azul e branco.

FCPorto 3 x 0 Naval

O FCPorto está diferente para melhor. Depois dos jogos frente a Nacional, Sporting e Naval, o saldo é de 3 vitórias, 12 golos marcados, 2 sofridos. Este FCPorto está melhor e sem dúvida a entrada de Rúben Micael na equipa tem a ver com isso, isto enquanto continuamos à espera que o CD da Liga interrompa, quiçá, o seu jogo de bridge para decidir sobre o caso Hulk.


Este jogo marcou o regresso de Bruno Alves à titularidade depois ter ficado de fora da convocatória no jogo contra o Sporting por opção, contra o Nacional por castigo. A braços com as ausências de Rodriguez, Raul Meireles e Fernando, Jesualdo armou a equipa com a defesa habitual, sendo a principal novidade a inclusão de Tomás Costa, substituto habitual de Fernando, na posição 6. Na frente, o trio de ataque foi o mesmo que no jogo contra o Sporting: Mariano, Varela e Falcao.

O FCPorto entrou bem e poucas hipóteses deu à Naval, controlando o jogo e obrigando a equipa figueirense a recuar para tentar fechar os caminhos para a sua baliza. Aqui, há que destacar um aspecto muito importante da mudança de jogo do FCPorto com a entrada de Ruben Micael: jogando o madeirense com Belluschi, o FCPorto ficam com 2 médios criativos que jogam alto no terreno e isso faz com que a equipa portista consiga subir e recuperar mais vezes a bola em zona de ataque, havendo depois capacidade para fazer a sua circulação e para gerar passes de ruptura com mais frequência. Fica pois a questão: com o regresso de Meireles o que acontecerá? Sairá Belluschi ou Micael? Ou não sairá nenhum e o médio da selecção nacional terá de lutar pela titularidade como qualquer outro?

De volta ao jogo, foi preciso paciência para chegar ao golo, tendo este acontecido na marcação de um livre indirecto dentro da área da Naval por Tomás Costa, a cereja no topo do bolo de uma grande exibição.

Na segunda parte o FCPorto continuou pressionante mas, a dada altura, pareceu acomodar-se na ideia de que, a haver um golo, este nunca seria da Naval, atitude que ia custando caro não fosse o avançado da Naval que surgiu diante de Helton ter falhado o remate. Pouco depois o FCPorto chegaria finalmente ao golo da tranquilidade com Falcao a mostrar todo o seu instinto matador na sequência de um livre onde Bruno Alves assistiu o colombiano para o seu 14º golo na Liga.

Já com Guarín em campo por troca com Belluschi, este golo definiu em definitivo o resultado e trouxe a tranquilidade necessária para Jesualdo dar descanso a Fucile e Micael, dando mais minutos a Miguel Lopes e Valeri. O FCPorto acabaria ainda por chegar ao 3º golo pelo inevitável Varela, após assistência de Falcao. Aliás, Falcao foi esta noite um jogador mais virado para o colectivo, tendo por vezes em prejuízo próprio deixado de lado o egoísmo intrínseco dos verdadeiros pontas-de-lança. Por 3 ou 4 situações se viu o colombiano em boa posição para ensaiar a sua meia distância, tendo contudo optado por um passe para um companheiro o que acabou por resultar apenas no 3º golo do FCPorto. Será talvez por isto que Falcao não está já à frente de Cardozo, o marcador de penalties do Benfica, na lista de melhor marcadores do campeonato mas será também por isto que dificilmente se verá um companheiro de Falcao a reclamar com o colombiano no melhor tom de brejeirice.

No final, mais 3 pontos para o FCPorto e uma possível aproximação ao topo da classificação, neste momento ocupado pelo Benfica que quis tanto ser líder que teve de antecipar o seu jogo. Quanto ao Braga joga amanhã no Restelo contra um Belenenses à procura de si próprio. Já se sabe que não poderá contar com alguns jogadores influentes castigados no âmbito da confusão com o Benfica à entrada do túnel no jogo em Braga. Curiosamente, nenhum destes jogadores foi suspenso preventivamente até ser conhecido o castigo... Legalidades.

4 comentários:

The Blue One disse...

Confesso que me deu um particular gozo o FC Porto ter ganho este jogo... È que agora a tremideira vai tomar conta da equipa da Luz e nem as ajudas, nem os favorzinhos da Liga Portuguesa de Futebol os safarão.

Com Micael o FC Porto é outra coisa, pois a bola chega á frente em condições e há uma coisa que não havia desde que o Dragão começou a temporada: Organização.

Até Falcao parece ter melhorado, pois deixou de ser um Farias 2 para ser uma especie de Lizandro. E com a bola a ser-lhe bem colocada a coisa é outra. Habemos matador, e se o deixarem teremos nas fileiras Portistas o Melhor Marcador desta temporada.

Varela para mim esteve em grande apesar de ter falhado golos de uma forma impressionante.

Segue-se agora o jogo das meias finais da Taça dos Treinos. Jesualdo que aproveite para rodar os Jogadorese, dar ritmo aos menos utilizados, pois o que interessa vem a seguir contra o Leixões e o FC Porto x Arsenal é já ali ao virar da esquina.

Grande abraço e saudações Portistas!!!

Sete_Luas disse...

Gostei do resultado final, gostei da exibição de Falcão (como tu dizes sempre em prol do colectivo), gostei da exibição no geral, gostei de Varela (incansável), gostei de ver o público nas bancadas apesar do frio (começa a sentir-se, outra vez, esperança nas bancadas)... Não gostei da desatenção da segunda parte, não gostei de ter de esperar tanto pela tranquilidade, não gostei da exibição do árbitro, não gostei de ver os adeptos a começarem a sair a 10 minutos do fim, não gostei do falhar de alguns passes incompreensíveis, não gostei que Ruben Micael entrasse tão tarde.
Há mais garra neste Porto mas ainda não me preenche totalmente as medidas, esperemos que seja sempre a crescer daqui para a frente. Usando a expressão mais que batida "contra tudo e contra todos" vamos lá nação, acreditem!

"Nós seguimos os Porto!"

dragao vila pouca disse...

Não foi Ópera, mas também não foi música pimba. Digamos que foi um fadinho, o nosso fadinho, sofrido, com o susto da praxe, mas tudo está bem quando acaba bem.

Equipa da Naval fechada e algum cansaço, natural, na base da exibição menos conseguida. De qualquer maneira, o fundamental, a vitória, foi conseguida e encurtamos distâncias para o andor vermelho que era o mais importante.

Um abraço

Caetano disse...

É verdade, meus caros. Este FCPorto já infunde mais esperança nos adeptos mas ainda se notam alguns sinais menos bons que convém corrigir, como são o abrandamento e a desconcentração que se pode revelar fatal mas que, por exemplo, no jogo contra o Sporting não se viram.

Falcao está bom mas o Varela precisa de ser mais objectivo pois há ocasiões em que se perde em mais uma finta quando deveria jogar com os companheiros mas ainda é novo e vive um momento de confiança. Não virá daí o mal.

Venha o Leixões!