segunda-feira, fevereiro 22, 2010

FCPorto 5 x 1 Sp. Braga: Vendaval ofensivo varre bracarenses


O Sp. Braga ainda deverá a estar tentar perceber o que aconteceu ontem à noite no Estádio do Dragão. Procurando recuperar o 1º lugar da classificação, os minhotos encontraram um FCPorto cheio de alma que cilindrou autenticamente o adversário e não deixou dúvidas quanto à sua superioridade. Talvez por pensar antecipadamente que o resultado já era castigo suficiente, Olegário decidiu ser complacente e só assim o Braga chegou ao final do jogo com 11 jogadores em campo.

Numa semana em que o invulgar CD da Liga, através do exibicionismo compulsivo da sua figura "maior", dera a conhecer o resultado de mais uma das suas interpretações muito particulares da lei, o FCPorto recebeu o Braga num contexto muito particular. Depois de um grande momento de declaração de união por parte do plantel, mais uma vez no aquecimento a equipa voltou a mostrar solidariedade para com Hulk e Sapunaru, envergando uma t-shirt com o nome de ambos.


O momento mais emotivo que antecedeu o jogo acabou no entanto por ser o minuto de silêncio em homenagem às vítimas do temporal na Madeira, sublinhado com forte aplauso vindo das bancadas e a emoção muito particular do mais recente craque azul e branco, Ruben Micael, que não largou a bandeira da região autónoma.




Quando Olegário Benquerença apitou para o início da partida, poucos esperariam o que aconteceu nos 90 minutos que se seguiram: um FCPorto que vulgarizou completamente o Sp. Braga, derrubando a imagem de extrema organização táctica que a equipa de Domingos Paciência tinha vindo a deixar desde a 1ª jornada, sem argumentos para contrariar o caudal ofensivo que o Dragão ontem descarregou sobre a defensiva bracarense, sobretudo a partir do flanco esquerdo.

Se até ao primeiro golo ainda existiu algum equilíbrio, a partir do 1º golo, uma assistência primorosa de Varela (que grande jogo!) para a finalização de Meireles, só deu FCPorto! A largura de jogo dada pelas alas do FCPorto, sobretudo a esquerda, abriu espaços no meio que foram explorados de forma excepcional por Micael e Meireles, sendo que na frente Falcao foi um quebra cabeças para os adversários. Dá gosto ver jogar o colombiano, cheio de confiança, a ser capaz de assumir a iniciativa para vir atrás pegar na bola e dar ele próprio início aos movimentos ofensivos, revelando depois um notável instinto de finalizador. Facto importante: Falcao com os 2 golos obtidos ontem, tem agora 16 golos marcados, menos um que Cardozo, embora este último tenha 6 golos obtidos de penalty contra 1 do colombiano.


Em grande estiveram também Varela e Álvaro Pereira. O jovem português coroou a sua exibição com duas assistências perfeitas para golo e que cansa só de ver correr. Graças a ele, Filipe Oliveira terá com certeza tido pesadelos esta noite. Já Álvaro Pereira, o tal que afinal foi preterido no Benfica em favor de Schaffer, voltou a fazer uma grande exibição mas desta vez mais notável pelo fantástico golo marcado "do meio da rua" e que só levanta questões em relação ao desempenho de Eduardo nesse lance porque Álvaro não se chama Cristiano Ronaldo. Juntamente com Varela formou uma ala esquerda temível. Coincidência ou não, 4 dos 5 golos nasceram do lado esquerdo do ataque do FCPorto.

No meio, Micael e Meireles entenderam-se às mil maravilhas e se Meireles marcou na sequência de uma jogada-tipo do FCPorto, já Micael por duas ocasiões esteve perto de conseguir o golo que tem vindo a justificar. A jogar assim, não tenho dúvidas que vai conseguir naturalmente um bilhete para a África do Sul, juntamente com Varela.

Na direita, Fucile também ajudou a dar profundidade ao ataque, embora este flanco não tenha tido a mesma acutilância do esquerdo já que Mariano não tem a dinâmica de Varela. Apesar de tudo, o argentino tentou várias vezes o golo, sendo a ocasião mais flagrante o lance em que se isolou à saída do meio campo mas, pressionado pelo defesa que recuperou terreno e pela saída de Eduardo acabou por atirar um pouco ao lado, e soltou-se sobretudo na ponta final, dado o espaço que o Braga abriu ao avançar no terreno. Foi nesse período que Mariano criou a jogada para o golo de Belluschi, um golo à "futsal", Belluschi que pouco depois seria alvo de uma entrada bárbara por parte de um adversário que, por sorte, não lhe partiu a perna.

Este lance acabou por ser a cereja no topo do bolo da actuação de Olegário Benquerença que de forma incompreensível apenas mostrou o cartão amarelo ao jogador do Braga. Já antes Mossoró não vira o 2º amarelo por pontapear uma bola para a baliza depois do apito do árbitro (embora se possa discutir a justiça do primeiro) e Paulo César também se safara do vermelho após tentar agredir Fucile à cabeçada (mal o "teatro" do uruguaio). Há que reconhecer no entanto que ficou também uma grande penalidade por assinalar contra o FCPorto, já que Meireles derrubou Mossoró na área. Portanto, uma exibição em grande de Olegário, apesar dos elogios de Ruben Micael que hoje são reproduzidos na imprensa.


Agora o Sporting

A próxima jornada traz consigo o reencontro com o Sporting, equipa que este ano conta por derrotas os jogos com o FCPorto. Fica para já a grande incógnita: que equipa vamos ter em Alvalade? O FCPorto de contenção que amiúde temos visto ou o FCPorto de ontem e de Quarta-feira, capaz de lutar do 1º ao último minuto, disputando cada lance como se fosse o último?

Fotos: FCPORTO

13 comentários:

Sete_Luas disse...

Ontem deu gosto... E não foi pela goleada ou por termos derrotado o primeiro lugar do campeonato (porque o Braga merecia lá estar ao contrário do novo lider levado ao colo) foi pela entrega e pela união. Nas declarações que antecederam o jogo proferidas por Nuno Espirito Santo vi o acender da chama que faltava ao Dragão deste ano.... "Somos Tetracampeões! Merecemos respeito (...) Juntos, sempre juntos, vamos voltar a ganhar.(...)Somos FC Porto e estamos unidos!" E quando o Dragão subiu ao relvado, em gesto simbólico, usando tshirts com os numeros e nomes dos dois "exemplos de uma lei particular mas que em de ser cumprida" tive a certeza que ia ser, como diria um velho conhecido, "a night to remember"... E assim foi.
Não vou enaltecer exemplos particulares porque ontem vi o Porto como equipa, como conjunto que funciona e pode ser verdadeiramente imparável quando junto em volta dum objectivo. Não vou falar de Pereira, Varela, Meireles, Falcão, Belluschi, etc etc etc porque acho desnecessário e injusto para aqueles de quem não falasse. Vou, no entanto, a bem da justiça, ressalvar um nome: Mariano! Porque muitas vezes o mencionei pela negativa, não podia deixar de apontar os holofotes agora que tem feito uma série de jogos QUASE irrepreensíveis e começa a mostrar um bocadinho da raça que tanto lhe gabaram. (e depois não digam que eu não dou a outra face. :p)

dragao vila pouca disse...

É disto que o povo gosta!

Um Porto Vintage, inspiradíssimo, demolidor, com tantos jogadores a fazerem exibições de nível superior, um Porto que está vivo, bem vivo e é deste Porto que eles, os que fazem as coisas pelo outro lado, têm medo.

Mas o Porto de ontem, também demonstrou, que, e ao contrário do que alguns disseram, tem plantel, gente com qualidade que está aí, pronta a aparecer para uma parte final da época que promete.

Gostaria de referir, que apesar do excelente campeonato que o Braga está a fazer, nós somos muito melhores e que os jogadores que os bracarenses têm e nós não quisemos, não têm capacidade para jogar de Dragão ao peito. Digo isto, porque durante a semana os propagandistas andaram a tentar passar a mensagem que o F.C.Porto tinha dispensado para Braga melhores jogadores dos que tinha no seu plantel. Ontem, penso eu, acabaram-se todas as dúvidas a esse respeito.

Um abraço

Caríssima Lua, para além disso o Mariano é um líder. A forma como no final do jogo deu a volta ao Bruno Alves, para que fosse o Valeri - que entrou com tudo, qualquer dia vai explodir e aparecer o jogador de quem me deram tão boas referências.. - a marcar o livre...É de Dragão que está atento e sabe que às vezes um golo pode ajudar, de que maneira, um jogador a transformar-se.

The Blue One disse...

Grande Jogo de um FC Porto revoltado e farto de ser maltratado em toda a Comunicação Social e na Liga Portuguesa de Futebol.

Melhor Grito de revolta e de apoio a Hulk e Sapunaru era impossível!!!

Foi uma goleada a um Braga, que muitos coroaram como um Candidato ao Título, que faz com que nós Portistas voltemos a sonhar com o Penta...

Micael o que de tão bom vieste fazer e porque não vieste mais cedo.

Agora é o Dragão ganhar todos os jogos e esperar que os adversários escorreguem... O Benfica será com certeza o primeiro, pois a Águia já se queixa que não pode mais graças aos métodos de Treinos do Papa Pastilhas... Resta saber se o Braga quebrou ou quebrará.

Cumprimentos e saudações Portistas!!!

Caetano disse...

Luas e Vila Pouca, De facto acho que ninguém como o Mariano sabe o que é estar na mó de baixo e como um golo pode mudar a mentalidade de um jogador. Em termos de atitude foi de facto grande! Será que no próximo Domingo iremos ter o mesmo FCPorto?

Caetano disse...

Blue One, é verdade. Que grande reforço é o Ruben Micael. Puxa e de que maneira a equipa para a frente e o melhor elogio que se lhe pode fazer é que parece que está no Porto há muito tempo.

Sete_Luas disse...

Caro Vila-Pouca, querido Caetaninho, eu só não entendo como é que, se o segredo era a confiança trazida por um golo, porque é que este Mariano não surgiu o ano passado depois do golo contra o Manchester... Um golo ao Manchester devia valer por 3 ou 4 não? Seja como for, deixa-o crescer que eu estou a gostar. ;)

Quanto ao próximo jogo, espero para ver... até porque sempre que, esta temporada, eu dizia que o meu Porto tinha virado Fénix, na jornada seguinte, virava cinzas outra vez...

Caetano disse...

Claro que não podemos escamotear o facto de o Mariano ser naturalmente trapalhão ;) Aliás esse golo de que falas é um exemplo disso mesmo.

Sete_Luas disse...

Ora ainda bem que alguém concorda comigo nisso... É que agora parece que toda a gente se esqueceu de certos pormenores.... Eu continuo a dizer que, nesse lance, não fosse a trapalhice ele n tinha marcado...

Sete_Luas disse...

Ora ainda bem que alguém concorda comigo nisso... É que agora parece que toda a gente se esqueceu de certos pormenores.... Eu continuo a dizer que, nesse lance, não fosse a trapalhice ele n tinha marcado...

dragao vila pouca disse...

Eu também o acho trapalhão - bastava ver aforma como ele marcou o penalty em Belém -, mas é um profissionalão, um amigão, tem uma grande generosidade e dá tudo. Pode não ser o melhor, como não é, às vezes tira-me do sério, mas é dos tais jogadores que todos os treinadores querem no plantel. Está bem assim, cara Luas?

Beijos e abraços

The Blue One disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Rui disse...

Reza assim o "O campeão dos túneis"*







O génio criativo do nosso país ofereceu um novo desporto à Europa e ao mundo: o “tunebol”. Explico. Quando as duas equipas de futebol se encontram nos túneis que ligam os balneários ao relvado, após provocações de figuras contratadas para o efeito, inicia-se uma cena de pancada entre os jogadores.



O vencedor será aquele que não reagir e que, portanto, mais pontapés e murros levar. Convém lembrar que o "tunebol" está limitado aos clubes que lutam pelo título nacional. Ou seja, quem chegar a Dezembro/Janeiro em condições de ser campeão, participa no "mini-torneio" de "tunebol", para se clarificarem posições para a segunda metade da época. O campeão do "tunebol" ficará numa óptima situação para ganhar a liga.



De acordo com o seu estatuto de clube com mais títulos em Portugal, este ano o campeão do "tunebol" foi o Benfica. E não julguem que foi fácil. Exigiu muito trabalho e uma fina psicologia por parte de Jorge Jesus. Foi necessário repetir vezes sem conta, desde o início da época, aos seus jogadores: "se levarem um murro, dão a outra face para levarem um estalo". Imaginam o que deverá ter custado aos seus jogadores ouvirem, "se o Sapunaru te der um pontapé, vira a outra nádega para o Hulk te dar outro"; ou "se o Mossoró te der um estalo, dás a outra face para o Vandinho te dar um murro". E resultou.



Os jogadores do Benfica tornaram-se um exemplo de boa educação, de auto-controlo e de pacifismo. São já um exemplo para toda a Europa. Houve mesmo um jornal inglês que afirmou: a "Inglaterra deu o ‘greenpeace' ao mundo; e o Benfica deu o ‘redpeace'". Contaram-me que nas paredes do balneário, há cartazes do Dalai Lama por todo o lado. O presidente do Benfica estará a pensar convidá-lo para assistir ao jogo do título, para o apresentar como a grande inspiração da "nação pacifista". Já há mesmo quem diga que a única maneira do Sá Pinto e do Bruno Alves se emendarem é através de um estágio na Luz.



Mas o "tunebol" não se fica pelos provocadores e pelos jogadores; exige igualmente membros na Liga de Futebol com "olho de falcão", como se costuma dizer no nosso país. Pensam que é fácil olhar, através de gravações, para um molho de dez jogadores e vinte braços e perceber que foi o Hulk ou o Vandinho os únicos a agredirem. Experimentem ver as imagens e vejam se é fácil. Por fim, não há datas para terminar o mini-campeonato do "tunebol". Se um dos olhos de falcão voltar às imagens daqui a três meses e perceber que afinal o Helton, ou o Hugo Viana também agrediram, far-se-á então justiça. Nunca é tarde para punir quem bate. "Glorioso, glorioso, nos túneis és poderoso"; eis o novo grito das claques benfiquistas.´






O autor deste artigo fantástico chama-se João Marques de Almeida , Professor Universitário, e membro da equipa do Presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.

dragao vila pouca disse...

Caetano, Luas, já passou o mau tempo, aquela ventania de domingo só acontece de longe a longe...apareçam.

Abraços