terça-feira, junho 23, 2009

Verdadeiramente "El Comandante"

Depois da saída do capitão Pedro Emanuel, que terminou a sua carreira, a escolha para o seu sucessor recaíu sobre Lucho Gonzalez, uma escolha que premeia um dos símbolos do FCPorto pós-José Mourinho. Desde que chegou ao FCPorto para integrar a equipa então orientada por Co Adriaanse, Lucho Gonzalez impôs-se naturalmente pela sua classe e pelo papel de verdadeiro líder do meio campo azul e branco.
Lucho Gonzalez vê assim premiado o seu papel de destaque no FCPorto, onde se tem mantido apesar dos constantes assédios de que é alvo por parte de grandes emblemas europeus. Tido como inegociável pela SAD, Lucho é o jogador mais bem pago do plantel e, quanto a mim, merece cada cêntimo.

Penso no entanto que a escolha mais natural deveria ser Bruno Alves, pela entrega e pela garra que coloca em campo e que faz dele um dos melhores defesas centrais do Mundo mas, esta não escolha poderá indiciar a sua saída do FCPorto e mais um negócio chorudo da SAD.

A título de curiosidade, refira-se que a escolha de um jogador estrangeiro como capitão de equipa era algo que já não acontecia desde a passagem do avançado peruano Teófilo Cubillas pelo FCPorto entre 1974 e 1976. Considerado um dos melhores jogadores do Mundo de sempre, o peruano realizou 108 jogos pelo FCPorto tendo apontado 65 golos.

4 comentários:

Wolverine23 disse...

Grande Lucho :)

Agora não te esqueças que a Pré-Época ainda vai no inicio

E entre o Bruno Alves, Lucho e Lisandro, pelo menos um deles sai, possivelmente dois

E ainda há o Cissokho

A ver no que isto dá, mas parece que o Bollati e o Ibson estão bem valorizados, é aproveitar um bom encaixe com esses dois...

abraço

Petição disse...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
Revolucionar o Futebol profissional em Portugal, pela implementação de um novo modelo de gestão, financiamento e organização.

http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

dragao vila pouca disse...

O Lucho prefere andar de cavalo para burro e contra isso não há nada a fazer.

Um abraço

Caetano disse...

Realmente é incompreensível... apesar do OM ser um dos grandes de França no momento (isto em França muda de época para época) vai para um clube de expressão modesta na Europa e para uma cidade não muito agradável para se morar. Se fosse para Inglaterra ainda compreendia ou Espanha que acho que seria o seu destino mais provável, agora França? Para França vão Brunos Bastos e Pauletas... enfim...!