sábado, dezembro 06, 2008

V.Setúbal-0 / FCPORTO-3

Uma vitória por 3 golos de diferença será que pode ser considerada uma vitória feliz?
É que existiu um jogo antes do 1ºgolo de Bruno Alves e existiu um outro jogo depois, e o primeiro jogo foi realmente muito mal jogado por parte do FCP, parecendo que alguns jogadores estavam alheados do jogo, e sem posicionamento adequado em campo, pois tanto defensivamente como ofensivamente parecia que estavam sempre fora da 2ªbola ou de um possivel ressalto ou até de pressionarem á frente em conjunto e não individualmente.
Também é verdade que Jesualdo colocando Lino a defesa esquerdo, os avançados do Setúbal obviamente tentaram explorar esse flanco quase sempre, e ás vezes também não tinha ajuda do homem á sua frente, mas também é certo que Lino não pode defender da forma que defende, (e virar as costas quando o extremo contrário o tenta ultrapassar, recuando sempre, sem nunca se posicionar da forma correcta, também ajuda os adversários a perceber que é por ali que devem atacar...), decididamente não é DEFESA para o FCP, (médio-ala, talvez...).
E claro, quando no meio-campo, hoje com Fernando e Tomás Costa que estiveram algo precipitados no passe, ainda que tenham trabalhado muito, mas onde Lucho continua ausente e a sua classe nem se vê no seu modo de jogar, perdendo com isso o FCP a forma de pressionar em zona alta e de forma consistente, claro que a defesa jogando muito atrás também não ajuda, pois quando o FCP perdia a bola, existia um recuo automático para perto da baliza, sem se exercer pressão correcta no meio campo adversário.
E durante 60m., até ao golo de Bruno Alves, o que se passou foi muito preocupante, onde o FCP apenas por uma vez ainda na 1ªparte teve a capacidade de criar um lance claro de golo que Lisandro falhou ao colocar o pé numa bola já em esforço e não acertando bem na bola, falhando um golo fácil.
Claro que o Setúbal aproveitou os demasiados espaços que o FCP cedia e com o bom toque de bola de 4/5 jogadores, conseguia chegar perto da aréa do FCP, claro que também sem conseguir criar verdadeiramente lances de perigo, mas mesmo assim, percebeu-se o porquê do empate na luz.
Depois do golo de Bruno Alves, que no seguimento de um canto, chega mais alto , e num lance de contra-ataque, onde Hulk aproveitou um mau passe do adversário, tem uma das sua explosivas arrancadas, conseguindo com isso isolar-se, e no momento certo ceder a bola ao Guarin, que á 2ªtentativa marca um bom golo, colocando no jogo uma diferença algo injusta no marcador, mas que surgiu num momento crucial do jogo, permitindo ao FCP soltar-se e produzir um futebol de uma qualidade mais elevada, ainda que nunca sem deslumbrar, nem lá perto, mas o suficiente para num lance (no melhor lance de ataque do FCP) bem gizado pelos jogadores, onde Mariano acabado de entrar coloca a bola de bandeja para Lucho fazer um golo de primeira e acabando de vez com a resistência do Setúbal, concluindo assim um jogo onde valem mais os 3 pontos conquistados do que a pobre exibição do FCP.
A ver vamos como corre o jogo seguinte contra o Arsenal, pois é um jogo muito mais exigente, e o FCP tem de jogar muito melhor para levar de vencido o adversário para conquistar o 1ºlugar no grupo da Champions.
FORÇA PORTO.

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Começando pelo fim: vitória justa, com um resultado exagerado e uma exibição fraca do F.C.Porto.
Na 1ªparte foi um Tricampeão macio, abúlico, incapaz de pressionar, de dar intensidade ao jogo, de ter bola, de se organizar e que pode dar-se por satisfeito, de ter chegado ao intervalo empatado.
Na segunda metade houve uma melhoria, pequena, muito pequena e até ao golo o F.C.Porto tinha feito pouco para justificar a vantagem. Depois do um a zero e como o dois a zero surgiu logo a seguir, as coisas tornaram-se fáceis e ainda deu para ampliar a vantagem e dar uma ideia de facilidades que nunca aconteceram.
Para mim não está tudo bem quando acaba bem. Ganhamos e normalmente tendemos a esquecer o resto. Eu não esqueço, porque foi por jogarmos assim que já tivemos alguns dissabores que não estavam nos nossos planos. Temos gente para jogar melhor, mas principalmente, devemos encarar estes jogos com outro espírito, sob pena de voltarmos a ter mais desilusões.
Tomás Costa mostrou que não é jogador para jogos em que é preciso ter bola, organizar e criar. O argentino é mais um jogador de luta, de marcar e fechar bem, que como já se viu, pode ser muito importante em jogos com outras características.
Guarín, foi o único que se deu ao trabalho de fazer um sprint de 50 metros para dar uma linha de passe a Hulk no lance do segundo golo.
Onde estava Lisandro?
Hulk, tiremos o chpéu a Pinto da Costa quando disse que iriamos ter uma surpresa que nos ia alegrar muito.
Cada jogo é mais importante e ontem foi o único capaz, no pior período do F.C.Porto, de levar algum perigo ao último reduto sadino.
Um abraço

ACCM disse...

Nao há que tirar mérito ao Setúbal pela forma como jogou os primeiros 45 minutos, e o FC Porto soube ser pragmático, e aguentar o nulo.
Na segunda parte a coisa resolveu-se. Estamos mais fortes, apesar de ainda longe do desejado voltamos ao pragmatismo.
Tomás Costa tem muito que aprender, esteve mal nete jogo, mas tem qualidade para fazer coisas boas no futuro.
Hulk é fantástico, uma bela surpresa! :D

Caetano disse...

Concordo com a análise tanto do Wolverine como do amigo Vila Pouca. O FCPorto tem de ter mais personalidade e mais ambição desde o 1ºminuto para evitar que, como o Vila Pouca referiu, lhe possam acontecer dissabores como sucedeu num passado recente.

Sobre os jogadores, notou-se a falta da organização que Raul Meireles traz ao meio campo pois Tomás Costa possui outras características e, na segunda parte, Guarin veio possibilitar que o FCPorto pressionasse mais à frente.

Creio que o problema não passará tanto por saber quanto valem ou deixam de valer os jogadores mas sim em melhorar a posse de bola e evitar perdê-la tanto para o adversário como o fizeram Rodriguez e Hulk (pode ser muito possante mas ainda tem muito a melhorar neste aspecto para ser um grande jogador).

Eu pergunto se não será oportuno na reabertura do mercado, tendo em conta que se vão despachar Bollattis e outros que tal, recuperar Ibson (para além de Leandro que pior que Lino e Benitez não é de certeza).

No saldo final da jornada fica o apontamento essencial: O FCPorto está agora mais perto do primeiro lugar e, ainda por cima, o actual líder da Liga joga na próxima jornada no Estádio da Luz, um terreno tradicionalmente difícil para si.