quarta-feira, dezembro 17, 2008

E.Amadora-2 / FCPORTO-4


Lisandro López, 11'; Cristián Rodríguez, 45' 85'; Hulk, 63'

Amadora e a tendência para o sofrimento...

Vitória justa e merecida pelas oportunidades criadas e algumas desperdiçadas num jogo onde o FCPORTO mostrou ser melhor e ter mais soluções que o Estrela, mas onde em duas falhas defensivas podia ter deitado a perder um resultado positivo, pois ás vezes parecia que alguns jogadores relaxavam em demasia ou então pensavam que o jogo estava ganho, quando a diferença minima é sempre perigosa e mais ainda na Reboleira que não é nem nunca foi para o FCPORTO um terreno fácil, e por isso o sofrimento desnecessário a que este se sujeitou.

Com um onze que neste momento é o melhor do FCP, Jesualdo apostou em P.Emanuel para o lado esquerdo da defesa, mas colocando R.Meireles muito atento a esse lado, é que P.Emanuel defende muito junto dos centrais e é preciso o médio andar a fazer de falso defesa esquerdo e de médio, o que obviamente desgasta muito o jogador que tem de andar num vaivém constante, este foi o principal problema defensivo do FCP durante todo o jogo.

É certo que os golos surgiram por um lance onde Fucile teve azar na tentativa de enviar a bola pela linha lateral, mas onde no 2ºgolo do Estrela se deixou claramente bater na defesa á zona, pois ele deveria ter atacado a bola e deixou-se antecipar por Vidigal, que experiente apenas desviou a bola de Helton após livre lateral, ou seja, em 4/5 lances o FCP permitiu que o Estrela criasse lances de perigo, e apesar de dominar muito o jogo, não esteve muito seguro atrás.

Claro que ofensivamente o FCP criou inumeras situações onde podia e devia ter definido melhor, nalguns lances o remate á baliza, noutros, a jogada em si, pois o Estrela nunca mostrou argumentos para segurar os 3 da frente do FCP, só que não se pode falhar tanto, correm-se riscos desnecessários, e Lucho, Rodriguez, Lisandro e Hulk podiam ter feito mais 4 golos se têm mais classe na hora do remate.

Quanto ao jogo, o FCP começou forte e desde o inicio do jogo até ao golo de Lisandro (a cruzamento de Fucile) o FCP dominou claramente o Estrela que pareceu aturdido com a entrado de força do FCP no jogo, pois nesse periodo por 3 vezes o FCP podia ter marcado, mas depois do golo, o FCP começou a deixar o jogo correr, sem pressionarem tão alto, e apenas a tentar controlar, é certo que teve mais 2 situações que a serem concretizadas facilitaria o resultado final, mas Rodriguez isolado falhou um remate "fácil".

E depois corre-se o risco de sofrer um golo da forma mais caricata que pode acontecer ao FCP na Reboleira, e o jogo tornar-se complicado, pois até aí o Estrela nada tinha conseguido fazer de real perigo para chegar ao golo, mas depois do empate o FCP não esteve bem e apenas num lance de Lisandro a centrar para R.Meireles rematar ao lado, mas o FCP teve sorte no ultimo lance da 1ªparte e após o seguimento de um canto, Rodriguez consegue fugir ao seu marcador directo e cabecear para o 2-1.

Na 2ªparte, o Estrela jogou mais e melhor no ataque, sendo certo que continuava a ceder muitos espaços atrás, nem sempre bem aproveitados pelo FCP, onde por 2 vezes podiam ter definido melhor o remate ou o lance em si, mas na sequência de um livre lateral e de uma falha de Fucile que não atacou a bola, deixando-se por isso antecipar por Vidigal que fez o empate.
Mas o FCP no lance imediato e atravéz de Hulk que marca o melhor golo da noite, pois ao ver o Nelson ligeiramente adiantado na baliza faz um chapéu perfeito a cerca de 30 metros, um golo de uma grande beleza e que recolocou novamente o FCP na frente por 3-2.

Depois o FCP acalmou o jogo com o resultado favorável, mas aqui acho que alguns jogadores do FCP estavam a pedir substituição, principalmete Lucho (que acabou por não sair), mas que para mim pareceu estar um pouco cansado, pois não conseguia pressionar alto e estava a falhar passes, claro sinal de cansaço, também é certo que R.Meireles e Rodriguez também apresentavam sinais de fadiga, e considero que Jesualdo demorou muito tempo a colocar sangue novo na equipa, pois era preciso não deixar o Estrela pegar na bola, e como alguns jogadores quando o FCP atacava já não conseguiam recuperar tão facilmente, e como na Reboleira os golos mais caricatos acontecem...

Mas o jogo arrastou-se até aos 83m., onde Lucho sofreu uma falta bem perto da aréa do Estrela e o jogador viu o 2ºamarelo e foi bem expulso, e no seguimento do livre, Rodriguez bisou e resolveu definitivamente o encontro, e até final o FCP fez 3 alterações dando minutos a outros jogadores já com o jogo controlado.

Quanto aos jogadores:

Helton, nos dois golos pareceu não ter hipotese, sendo que também não reagiu a tempo em nenhum deles.

Fucile, no melhor e no pior, bem a subir, cruzou para o golo de Lisandro, subiu inumeras vezes no apoio ao ataque, mas num mau alivio surge o 1-1 e num lance onde se deixa antecipar surge o 2-2.

Rolando e Bruno Alves, estiveram quase sempre bem, e não foi pelo centro que surgiu perigo, e nos lances aéreos não facilitaram.

Pedro Emanuel, algo lento e a jogar muito perto dos centrais, deixando muito espaço na lateral por onde atacava o Estrela, é certo que não é lateral, mas tem de jogar melhor...

Fernando, para mim, o melhor jogador do FCP, pois ás vezes estava sozinho na zona do meio campo, pois os outros médios ou estavam ausentes (Lucho) ou tinham outras tarefas para fazer (R.Meireles), e ele foi um esteio, cortando inúmeras bolas no seu raio de acção.

Lucho, jogando sobre a direita, mas com tendência para aparecer no meio e na frente, mas algo abulico, sem reaccção defensiva e a falhar demasiados passes onde ele costumava definir, está a faltar mais alegria a este jogador.

Raul Meireles, jogou a falso lateral esquerdo, a médio esquerdo e ás vezes ainda aparecia na frente, muitas correrias também no apoio a Fernando, foi um batalhador nato na conquista deste triunfo.

Hulk, jogou mais sobre a direita ou esquerda, levando muitas bolas para a frente, sempre muito forte no 1x1 e decisivo ao marcar um golo de antologia quando o Estrela empata (2-2) e prometia complicar a vida ao FCP.

Rodriguez, 2 golos fundamentais na sequência de bolas paradas, nota-se que está a subir de forma, pena não ter marcado logo aos 30m., num lance onde isolado permitiu a defesa de Nelson, e onde podia ter resolvido o jogo mais cedo.

Lisandro, regresso aos golos na Liga, com um bom cabeceamento, lutou muito como é seu apanágio, e ainda teve ensejo de marcar mais um, mas novamente Nelson evitou nessa altura o 3-1.

Guarin, Mariano e Tomás Costa, aqueceram para o banho.

Com estes 3 pontos, o FCP aproxima-se da liderança e fica a 2 pontos, mas o fundamental é que o FCPORTO vai na 9 vitória consecutiva em todas as competições, e unicamente aquilo que os seus sócios e adeptos pretendem é que o FCP vença o jogo com o Maritimo e termine da melhor forma o ano de 2008.

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Perfeito!

Houve jogo, houve uma grande atitude das duas equipas - uma palavra de apreço para os profissionais do Estrela, que apesar dos problemas, bateram-se muito bem, dignificaram a profissão, o clube e o campeonato - houve espectáculo, apesar do péssimo relvado, chegou a haver incerteza no marcador, mas tudo acabou, com uma vitória justa, mas que podia ser mais dilatada, do F.C.Porto, apesar, repito, da excelente prestação do conjunto de Lázaro Oliveira.

Estamos a dois pontos do líder, estamos a pisar-lhes os calcanhares, a chama do Dragão já os chamusca... podemos, temos essa legitimidade, aspirar a ser primeiros, chegar rapidamente ao nosso lugar habitual: o primeiro lugar.

Muito bem a linha avançada, razoável o meio-campo, fraquita nas laterais a defesa, com Fucile a estar nos dois golos e P.Emanuel - tem a desculpa de não ser lateral - a fechar muito no meio e permitir as entradas por seu lado o que causou vários desiquilibrios na rectaguarda.

Um abraço

Dragão Maronês disse...

Bom jogo do nosso Porto!
Mas que aflição, ver a nossa defesa a dar baldas perfeitamente imbecis.
Ainda por cima num terreno tradicionalmente dificil como é o poço da Reboleira. Acontece, sempre que lá jogamos, que alguém da nossa equipa não tem o cuidado devido e depois, para além do sofrimento, temos perdido pontos escusadamente. Felizmente, que desta vez tal não aconteceu, mas se aquele monumento do Hulk tem tardado mais tempo, não sei o que seria... Ganhámos e, ainda por cima, com uma boa exibição e isso é que conta. A nossa equipa está a mostrar-se mais valiosa do que poderíamos supor no início do campeonato.
A coisa vai compor-se e, não faltará muito tempo para nos instalarmos no lugar a que estamos habituados.
Vivó o Porto!