sexta-feira, dezembro 12, 2008

Sobre o FCPorto 2 x 0 Arsenal

Primeira parte de domínio em termos de posse de bola do Arsenal, segunda parte inteiramente azul e 2 golos de excelente execução e vários falhanços que poderiam ter contribuido para um registo histórico, foi assim o jogo da última quarta-feira.

Com vários jogadores ausentes o Arsenal apresentou-se no Dragão como o fez na última visita: objectivamente para não perder e, nitidamente, ou Wenger subestimou o FCPorto ou sobreestimou o desempenho dos seus jogadores.

Pode-se dizer muita coisa sobre os jogadores do Arsenal que se apresentaram em campo mas tenho para mim que muitos daqueles jogadores seriam titulares em quase todos os clubes da Liga Portuguesa. (Até o Silvestre daria jeito ao FCPorto neste momento dada a falta de um defesa esquerdo de raíz). Arrisco mesmo dizer que este 11 do Arsenal nunca ficaria em Portugal abaixo do 5º lugar.

O certo é que, com um futebol empolgante na 2ª parte, o FCPorto mandou inteiramente no jogo e teve em Lisandro, Rodriguez e Hulk verdadeiras setas apontadas à baliza do Arsenal. Em relação a Lisandro nada pode ser dito que não o tenha já sido: é de outra galáxia. Já Rodriguez é um jogador fantástico pelo seu poder de arranque e a forma como consegue dar profundidade e acutilância ao ataque do FCPorto. Peca ainda na finalização por algum nervosismo mas mais cedo ou mais tarde irá estabilizar. Quanto ao Hulk, peca ainda por excesso de individualismo em determinadas situações mas foi importante na forma como desiquilibrou a defesa do Arsenal e como colocou sempre os ingleses em sentido.

Independentemente de todas as análises que possam ser feitas a este jogo, ficam os factos: o FCPorto conseguiu a 3ª vitória consecutiva na 2ª volta do Grupo G, conseguindo o pleno e o primeiro lugar depois de uma 1ª volta medíocre onde se chegou a temer o pior. Esta melhoria muito se fica a dever à inclusão de Pedro Emanuel na equipa pois o capitão trouxe estabilidade e confiança, dotando a equipa de uma voz de comando fundamental. Já Mourinho dizia que Pedro Emanuel era uma extensão do treinador em campo e isso notou-se na forma como o FCPorto serenou e ganhou confiança.

Em relação ao grupo, confirmaram-se os vaticínios aqui lançados: o FCPorto e o Arsenal eram, desde a primeira hora, os favoritos ao apuramento enquanto que o o 3º lugar seria disputado entre Kiev e Fenerbahçe. Com uma equipa ucraniana uns furos acima do que tinha mostrado nos últimos anos e com a equipa turca distante daquilo que produziu no ano passado, ainda a assimilar as ideias de Aragonéz e ressentindo-se de algumas ausências de jogadores importantes (Deivid lesionado, Mehmet Aurelio que saíu para o Bétis,...).


A Liga dos Campeões segue em Fevereiro.

5 comentários:

Sete_Luas disse...

Já estava a estranhar a ausência deste post. =D
Ao contrário do que dizem muitos idealistas dos 8-0 (se é q me faço entender), não foi pelo facto do Arsenal vir jogar com uma equipa de reservas que perdeu com o Porto, foi pelo Porto ter jogado com coerência, unidade e "mta tranquilidade" :p. Penso que um Porto a jogar como este Porto jogou, ou ainda melhor porque este ainda n é o Porto que pode ser, podia ter disputado o resultado no Emirates Stadium em vez de ter perdido daquela forma perfeitamente ridicula. Continuo a notar falhas incompreensíveis na equipa do Porto sendo a que mais me preocupa a maneira como ficaram desatentos nos minutos que se seguiram ao golo de Bruno Alves, e aí sim, pergunto-me se a equipa principal do Arsenal não teria rapidamente calado as bancadas efusivas do dragão. Mérito a quem o merece o Porto dominou toda a segunda parte e não fosse o nervosismo nos pés e talvez vingasse até o 4-0 da primeira volta. Termino com a ressalva para 4 nomes:
1. Pedro Emanuel é o amuleto do Porto, é o fio de terra e acho q Jesualdo finalmente entendeu isso. MAis vale tarde...
2. Hulk, acho que o rapaz está a perder as manias de vedeta e isso só lhe faz bem, de vez em quando ainda se deixa tentar pela mania do protagonismo e volta à criancinha egoista q quer levar a bola para casa mas, o passe que fez para o Lucho chutar por cima logo no inicio do jogo foi disso exemplo.
3. Lisandro: palavras para que...
4. Rodriguez: Quando este senhor jogava para os lados da fruteira eu achava q ele não sabia jogar só sabia marcar golos. Neste preciso momento é dos meus jogadores favoritos do plantel azul e branco. Se me dizem que Lisandro dá o litro, eu pergunto quantos quilolitros dá Rodriguez, quando a finalização estiver apurada pergunto-me quem o parará... para os curiosos em rever, fica o link http://www.dailymotion.com/video/x7oxpj_porto-v-arsenal_news o lance do Rodriguez aos seis minutos do video é simplesmente GENIAL e, na minha opinião, o melhor do jogo... ai s fosse golo...

E pronto, é giro o futebol na mente feminina, não é?

Caetano disse...

Maravilhoso! Eu é que também já estava a estranhar a ausência dos teus comentários ;) Bjinhos! :D

Sete_Luas disse...

Há dias sem paciencia para nada, mas devagarinho vai-se voltando ao normal. :D

* * * *

dragao vila pouca disse...

Mais vale tarde que nunca e isto serve para o comentário, também.

Vitória justa, indiscutível, que podia ter sido por números superiores.

Foi um bonito espectáculo com duas formas e dois modelos de jogo, completamente distintos.
Na primeira-parte, o modelo do Arsenal, baseado na posse de bola, na recepção em movimento, na qualidade do passe e que está tão sistematizado, que independentemente dos jogadores, funciona sempre, levou vantagem e o resultado - 1-0 para o F.C.Porto - era injusto para os ingleses.
Na segunda-parte, impôs-se o modelo do F.C.Porto, baseado nas transições rápidas -contra-ataque.
Foi melhor o Tricampeão português, na segunda-metade, que o Arsenal na primeira e com melhor finalização, mais tranquilidade e melhor qualidade, no último passe
- como me lembrei do passe precise do Robson - podia perfeitamente, ter vingado o resultado do Emirates Stadium.
Para a melhoria significativa do F.C.Porto, contribuiu e muito, a extraordinária partida de Fernando no segundo-tempo. O jovem trinco brasileiro - bem a desarmar, mas muito mal a passar, nos primeiros 45 minutos -, que tinha sido um dos elos mais fracos e contribuído mais, para o frouxo primeiro tempo, como que sofreu uma metamorfose - isso demonstra caracter, raça, de quem não se deixa abater - embalou para uma exibição notável, carregou a equipa às costas, melhorou a qualidade do passe e foi para mim, o grande responsável pelo magnífico segundo-tempo portista.
Agora no sorteio de 19, espero que não nos saia o Chelsea, R.Madrid ou Inter. Os outros é 50/50.
Um abraço

Caetano disse...

"Passe precise!" Que bela recordação! :D Sem dúvida o Fernando cotou-se como um dos melhores em campo. Está ali mais uma fantástica descoberta do FCPorto.

Quanto ao modelo do Arsenal, até concordo com o Jesualdo quando este disse que os jogadores ingleses, produto das escolas do Arsenal, já jogam naquele modelo há 4 ou 5 anos e que, ao chegar à equipa principal, não têm problemas em jogar. É ao fim e ao cabo, o problema com que se depararam muitos dos jogadores do FCP esta época (Rolando, Fernando, T.Costa, Guarin, Hulk, Rodriguez...). Parece que finalmente as coisas começam a entrar nos eixos.