domingo, novembro 28, 2010

Sporting CP 1 x 1 FCPorto - A lei de Sousa falou mais alto

Para a história ficará sem dúvida o resultado de 1-1 neste jogo entre Sporting e FCPorto. Contudo, será também difícil de esquecer o verdadeiro desastre de arbitragem protagonizado esta noite por Jorge Sousa que, em todos os lances capitais, decidiu contra o FCPorto, primeiro permitindo um golo irregular, que colocou o Sporting em vantagem, e depois deixando passar em claro uma agressão bárbara de Maniche a Moutinho para, pouco depois, "inventar" uma falta de Maicon sobre Liedson e mostrando um vermelho ao defesa-central. Como seria se o jogo fosse 0-0 para o intervalo? E se Maniche tivesse sido expulso como normalmente tem sido? E se Maicon não tivesse saído, obrigando Villas-Boas a abdicar de Falcao? Nunca saberemos. Como eu já disse, para a história fica o resultado de 1-1...

O FCPorto entrou no jogo a léguas daquilo que se esperava. Procurando sobretudo controlar o jogo sem carregar demasiado no acelerador, o FCPorto entregou a iniciativa ao Sporting. Longe da bola, Hulk pouco aparecia e Falcao era obrigado a desgastar-se caindo nas alas e vindo atrás buscar jogo. Como se não bastasse, especialmente na primeira parte, a primeira fase de construção de jogo era sabotada pela péssima prestação de Fernando que raramente acertou um passe e que também falhava de forma displicente a abordagem aos lances quebrando à nascença a iniciativa ofensiva da equipa.

Ainda assim, Falcao teve uma oportunidade de ouro para inaugurar o marcador, isolando-se diante de Rui Patrício mas atirando ao lado. Pouco depois, seria a vez do Sporting ter uma grande oportunidade através de um grande remate de Pedro Mendes à barra da baliza do FCPorto. Sem que ninguém conseguisse desatar o nó do nulo, esperava-se que o resultado chegasse inalterado ao intervalo quando... a verdade do jogo começou a descarrilar e o Sporting conseguiu chegar ao golo por Valdez. O chileno consegue isolar-se, ganha a Maicon e bate Helton fazendo-lhe um túnel. O "único" problema é que, no momento em que Rui Patrício pontapeou a bola, Valdez estava em posição irregular e ninguém mais tocou na bola. Isto à partida invalida a discussão sobre como, num segundo momento, Valdez beneficia do facto de ter ganho um ressalto de bola com o braço na discussão do lance com Maicon.

Ao intervalo, o FCPorto inofensivo e tristonho ficou nos balneários, entrando o FCPorto que todos conhecemos: forte e ambicioso. Os comandados de Villas-Boas carregaram finalmente no acelerador, chegando-se à frente e pegando no jogo. Bastaram por isso cerca de 10m de FCPorto "à FCPorto" para restabelecer o empate, com uma boa jogada que envolveu Moutinho, Hulk e Falcao, com o colombiano a fazer o que sabe fazer melhor.

Logo a seguir, Jorge Sousa voltou a fazer das suas deixando passar em claro uma agressão de Maniche que entrou com tudo ao joelho de Moutinho, quando a bola já nem se encontrava por ali. Vermelho directo (seria o 3º vermelho do médio leonino esta temporada e mais uns quantos jogos na bancada) que ficou por mostrar. 10 minutos depois, contudo, Jorge Sousa não teria quaisquer dúvidas num lance em que Maicon foi displicente e se deixou antecipar por Liedson. Apesar de tudo, o defesa central, procurando ganhar a posição encostou no avançado que, ao seu melhor estilo, "cavou" a falta. Jorge Sousa resolveu armar-se outra vez em protagonista e mostrou o vermelho directo ao defesa central.

Foi o lance que acabou com o jogo. Villas-Boas, como o fizera na Turquia diante do Besiktas, fez sair Falcao fazendo entrar Otamendi e, a partir daí, não voltou a haver uma ocasião clara de golo para qualquer das equipas. Como destaque, apenas mais um momento de Sousa que, para completar a sua imagem de indómito justiceiro anti-Porto, expulsou ainda Villas-Boas.

Este empate acaba contudo por ser um resultado positivo, embora não o ideal, para o FCPorto que desta forma mantém a sua invencibilidade e chega ao fim dos jogos "grandes" da primeira volta (Braga x Benfica x Sporting) com duas vitórias e um empate, e um saldo de golos de 9 x 3 neste particular.

O FCPorto está para já a 11 pontos do 2º classificado que joga amanhã em Aveiro depois do "brilharete" em Telavive mas que, em caso de vitória e ficando a 8 pontos dos dragões, poderá deixar o campeonato mais renhido.


Afinal o que é ser imbatível?

O conceito de imbatibilidade precisa de ser revisto a não ser que no futebol o empate conte como derrota. Já no empate em Guimarães um jornal fizera capa com um sui generis "Afinal o FCPorto não é invencível". Hoje, por seu turno, foi Daniel Carriço que veio manifestar o seu orgulho pelo facto de o Sporting ter mostrado que o FCPorto não é imbatível.

Das duas uma: ou há um superavit de estupidez reinante que não conhece a diferença entre uma derrota e um empate ou, o FCPorto está de tal forma imperial que as escalas tiveram de ser revistas e um empate conta agora como derrota.

4 comentários:

Orgulhoazulebranco disse...

Ai mas porquê?Por que motivo esses palhaços insistem em estragar jogos de futebol?Porra!

1ª parte fraca,com falta de atitude e determinação(não sei pq...)

2ª parte:Mais garra,mais pressão,mais bola,à primeira quase que entrava à segunda entrou mesmo(e que bela jogada).A partir desse momento passei a acreditar mesmo na reviravolta,até à expulsão ridícula do Maicon.Ridícula pq ele não pode hesitar ou tremer naquela zona,ridícula pq nem sequer falta fez.

Segundo deslize da época num estádio sempre mt complicado.

Pode ser que estes 2 pontos perdidos alertem reanimem de vez a equipa,às vezes também é preciso...

Orgulhoazulebranco disse...

Caro Caetano,

ali no primeiro parágrafo,não estará qq coisa de errado?x))

Caetano disse...

Orgulho AB LOL... não sei do que estás a falar. (Entretanto dá-me um instante que vou ali desinfectar as mãos com álcool etílico a 98%). Obrigado pelo reparo ;)

Sobre o jogo, não percebi qual foi a ideia da 1ª parte? Controlar para matar na 2ª? Falta de atitude, de empenho e um Fernando que me tirava do sério...

A 2ª parte foi melhor até o árbitro decidir armar-se em artista... Não fosse este incompetente e provavelmente o FCPorto teria trazido os 3 pontos de Alvalade.

No entanto não há motivos para preocupação. Foram 2 pontos perdidos num estádio onde não chocaria à partida perdê-los (não tendo em conta a forma como aconteceu) e... se os heróis de Telavive amanhã ganharem ao Beira Mar, ficam a "apenas" 8 pontos. :)

Dragus Invictus disse...

Boa tarde,

Ontem o empate arrancado pelo FC Porto, é mal menor, depois de analisadas as incidências do jogo, e a péssima arbitragem que nos prejudicou de forma evidente.

Ao Sporting temos de dar o mérito de ter manietado Hulk e Varela na primeira parte, fechando bem as alas, demonstrando-se melhor do ponto de vista de agressividade.

Tivemos contudo, a primeira grande oportunidade do jogo por Falcao.

Mas esta agressividade, e capacidade de ganhar as segundas bolas, nunca se traduziu em perigo, e o Sporting apenas teve na primeira parte um tímido remate perigoso à barra por Pedro Mendes.

O Sporting chega ao intervalo em vantagem fruto de um golo em fora de jogo mais que evidente, dos mais fáceis de tirar, e que só um fiscal de linha distraído ou incompetente, deixa passar em claro.

Não se percebe a agressividade dos ex-companheiros de Moutinho, sobre o seu ex-capitão. Na primeira parte muitos amarelos ficaram por mostrar e talvez duplos amarelos.

O Porto na segunda parte, entrou disposto a mudar o jogo e em poucos minutos criou mais uma oportunidade por Falcao, e a seguir noutra ocasião empata justamente o jogo.

Senti nessa altura que íamos vencer o jogo, estávamos nitidamente por cima do Sporting, que estava a ter grandes dificuldades em deter o nosso ataque.

Mas eis que aparece mais um erro clamoroso de arbitragem, com a expulsão de Maicon.
Se o contacto físico que Maicon tem sobre Liedson é para falta, bem mesmo amigos, deixa-se de poder jogar futebol. Foi uma disputa normal de bola com um mergulho típico de Liedson.

Este mesmo árbitro que dizem que é portista, não viu minutos antes uma agressão barbara de Maniche a Moutinho, que a acertar com pé firme na relva, lhe partiria a perna.

Todavia, esta arbitragem que nos prejudicou, não iliba a nossa equipa que não soube libertar-se do colete na primeira parte, como o fez na segunda.

Destacaram-se individualmente, Falcao, Hulk, Moutinho e toda a defesa, incluindo o Rafa, que teve uma estreia muito positiva.

Destaque para os milhares de portistas que apoiaram mais uma vez a equipa.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/