terça-feira, dezembro 15, 2009

Passaram 5 anos desde Yokohama

Yokohama - 12 de Dezembro de 2004

Pedro Emanuel prepara-se para entrar na história do FCPorto numa imagem que ficou irremediavelmente associada à Taça Intercontinental de 2004





Passaram já 5 anos desde a última grande conquista internacional do FCPorto: a Taça Intercontinental que entretanto foi "substituída" pelo Campeonato Mundial de Clubes mas que invariavelmente continua apenas a inscrever clubes sul-americanos e europeus na lista dos vencedores das provas.

Naquela noite (manhã em Portugal) foram necessários 120 minutos e 9 penalties para o FCPorto se sagrar campeão mundial de clubes pela segunda vez na sua história após um jogo onde mais que contra uma ultra-defensiva equipa colombiana, teve de se haver com os postes, o azar e um guarda-redes em grande momento de inspiração.

Vítor Baía, que começou a titular, seria substituído por Nuno Espírito Santo no decorrer do jogo como medida de precaução devido a problemas cardíacos decorrentes, presume-se, do jetlag.

Victor Fernandez, contratado para a difícil tarefa de substituir José Mourinho (não vamos aqui contabilizar a breve passagem de 1 mês de Del Neri pelo comando da equipa) não se conseguiu impor acabando por ser demitido após uma derrota com o Braga no Dragão por 1-3. Seria depois substituído por José Couceiro. Ainda assim, conseguiu conquistar a Supertaça frente ao Benfica e a Taça Intercontinental.

Uma passagem ingrata num momento em que o FCPorto estava em pleno processo tumultuoso de desmembramento da fabulosa equipa que durante duas épocas consecutivas mandou na Europa do futebol.

Uma nota trágica ligada a este jogo é que, pouco depois desta final, Luis Montoya, treinador do Once Caldas, viria a ser baleado na Colombia ao tentar proteger a sua irmã de um grupo de assaltantes, tendo ficado com parte do corpo paralisada.


A equipa do FCPorto:

Baía (Retirado - director de Relações Externas do FCPorto)
Seitaridis (Panathinaikos)
Jorge Costa (Retirado - treinador do Olhanense)
Pedro Emanuel (Retirado - treinador dos Sub-17 do FCPorto)
Ricardo Costa (Wolfsburgo)
Costinha (Atalanta)
Diego (Juventus)
Maniche (Colónia)
Luís Fabiano (Sevilha)
Derlei (Esporte Clube Vitória)
McCarthy (Blackburn Rovers)

Suplentes utilizados:

Nuno Espírito Santo (FC Porto)
Ricardo Quaresma (Inter de Milão)
Carlos Alberto (Vasco da Gama)

Suplentes não utilizados:

Areias (sem clube)
Bosingwa (Chelsea)
César Peixoto (Benfica)
Hélder Postiga (Sporting)

6 comentários:

John Aarson disse...

Acho que era ir buscar o Areias outra vez, já que está sem clube!!


kidding :$


Quem diria, um jogo que parece que aconteceu no outro dia, faz agora 5 anos. Esperemos que não tenhamos de esperar muito mais tempo para voltar a conquistar uma competição mundial de clubes :)

Caetano disse...

A brincar, a brincar mas se calhar se o têm ido buscar há um ano atrás, sempre teria sido mais útil que o fenómeno Nelson Benítez...! :)

John Aarson disse...

Muito bem visto... qualquer lateral é melhor que esse... até o pedro silva :P

Caetano disse...

Bom... se calhar afinal nem todos são melhores que o Benitez... :P

Quanto a novas conquistas internacionais é tudo uma questão de tempo John. O FCPorto é o clube português que oferece maiores probabilidades disso acontecer. Abraço

condor disse...

Errata:Naquela noite (manhã em Lisboa)
Naquela noite ( Manhã no Porto) gosto mais!

Caetano disse...

Condor, percebi perfeitamente o que quiseste dizer e realmente referir Lisboa é não só desajustado mas também redutor. Naquela hora, houve portistas de Norte a Sul! :)

Abraço